terça-feira, 27 de julho de 2010

Desapegando

Fase estranha essa a minha. Penso que andei exagerando nos meus exercícios de desapego que aprendi no budismo. Por incrível que pareça depois de um ano tentando entender o tal do desapego que eu tanto lia nos livros de budismo, acho que absorvi gradativamente o entendimento sem nem perceber. Desapeguei geral!
O desejo de ter e possuir é aquilo que leva o homem ao sofrimento. Desejar mais do que aquilo que podemos ter em um dado momento é o que nos causa a ansiedade, a frustração e a dor.
Então...eu aprendi a não desejar mais do que eu posso ter, e aprendi também a controlar a minha ansiedade, coisa que me causava terríveis dores nos ombros e insônia. Mas, será que eu não ando exagerando no meu desapego?
Não sinto falta de nada e de ninguém em especial, quer dizer, não sofro mais por antecipação e as minhas crises (seja lá qual for) não duram muito tempo. Me resolvo rapidinho.
Como tudo na vida, tudo que é demais não é bom e o meu desapego já está beirando a auto-suficiência e a frieza de sentimentos. Aiai...alma capricorniana aqui me tens de regresso.

Um comentário:

Carlos Eduardo Valbusa disse...

Olá capricorniana, rsrs.

Nossa, eu não sabia que existiam exercicios para desapego!

Sou pisciano e acho que passo pelo mesmo que você, por incrível que pareça. Peixes, ascendente em Câncer e lua em Touro e não sinto mais falta de algo ou alguém.

Mas acho que está tudo certo. É apenas autosuficiência sentimental. Não há razão para se apegar às pessoas ou coisas. Você pode manter uma relação mais "light". O bom disso é que você não irá se abalar com qualquer coisa que aconteça à alguém ou então entre você e alguém.

Não sei quanto a você, mas comigo isso acontecia MUITO.

Beijos.