quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Finalmente Júpiter



Para nós Capricornianos é normal  que o nosso regente Saturno  faça aspectos com outros planetas com uma certa frequência, trazendo muita seriedade , muitos desafios e outras "chaturnices". Eu vivo com aspectos em quadratura ou retrógrados no meu mapa. Que chatice!

Para a minha surpresa , neste periodo estou com uma chuva de aspectos em Jupiter , o benéfico, aquele que traz expansão as nossas vidas, inclusive no fisico. Portanto, atentos para a gulodice!

Tenho notado que os aspecros favoráveis no periodo concentram-se mais na àrea profissional, tipo Urano em Sextil ao meio do céu e Jupiter sextil ao meio do céu. Sem duvida alguma , é um periodo que me sinto muito capaz no meu trabalho. Tipo, eu posso tudo.

Os relacionamentos com os colegas de trabalho tambèm andam bem harmoniosos. E pensar  que ha um mês atras eu estava desanimada e estressada por ter que conviver com um colega irritante. Às vezes nem tinha vontade de ir trabalhar . A energia do cara era muito ruim!

Transferida de setor, aos poucos fui me harmonizando com os novos colegas e o novo ritmo de trabalho. Bem mais atarefado e cansativo, mas eu gosto de me manter 100% ocupada quando estou trabalhando.

Os aspectos que se apresentam no periodo não foram criados nos céus ao acaso, a minha conduta e as minhas orações contribuiram muito . Ou seja, estar conectado com o lado harmônico da vida faz com que  tudo se mova na mesma direção, até as estrelas. Obviamente que existem algums aspectos karmicos que não podem ser evitados, mas até neste caso , é preciso estar harmonizado com o universo  para vivenciar  o nosso karma da melhor forma possível.

Não estão acontecendo coisas incríveis na minha vida, houveram periodos bem melhores no passado, mas a sensação de que tudo está funcionando me traz uma certa paz e tranquilidade.

Namastê!

Vida no Japão


                                                  My bicycle in the beach 


Quando eu vivia em São Paulo eu não suportava ter que acordar as 5:00 da manhã , pegar ônibus , descer no Largo do Paissandu ( centrão de São Paulo) pra pegar o onibus fretado da Yamaha rumo a Guarulhos, as 7:00 hs da manhã. Algumas vezes cheguei a perder o fretado por questão de minutos. Era um sufoco chegar até o meu trabalho todos os dias. Nem quero lembrar de como era pra  retornar pra casa no final da tarde. Às vezes ficava presa no transito da Avenida 9 de Julho e só chegava em casa as 21:00 ou 22:00 hs.

O trânsito de São Paulo simplesmente me enlouquecia. Não via a hora de poder me mudar mais para o centro da cidade onde haviam estações de metrô, ou me mudar pra uma cidadezinha do interior onde tudo fosse perto. Tudo para fugir do trânsito de São Paulo.

Como eu não conseguia me mudar de casa e nem de cidade, decidi comečar a trabalhar em Shopping centers . Tudo para evitar o transito de São Paulo que me enlouquecia . Entrava as 10:00 hs da manhã , ou as 13:00 hs da tarde, assim evitada ficar horas parada no trânsito. Perfeito! Só que não!

Trabalhar em shopping center era maravilhoso. Adorava aquele ambiente , pessoas bonitas e ambiente climatizado 24 hs . O unico inconveniente de trabalhar no comércio é que nunca tinha os finais de semana livre. Enquanto meus amigos saiam pra uma happy hour à noite, eu estava ainda trabalhando, ou quando a familia se reunia no Revellon , eu estava fechando o caixa e fazendo o balanço da semana. Passeis muitos revellons sozinha, no meio do transito de São Paulo, geralmente no contra-fluxo.

A minha rotina aqui no Japão é terrivel: todos os dias a mesma coisa. E pior, trabalhando em três turnos semanais. Há dias que não sei quando é dia e quando é noite. Perco totalmente a noção dos dias da semana. Na verdade nem faz muita diferença saber . Minhas folgas não tem dias fixos, e por consequência disto, acabo sendo esquecida pelos amigos. As vezes eu mesma os evito pela falta de tempo livre para repousar . Dois dias de folga na semana é algo raro, portanto, aproveito ao maximo  pra repor as energias e resolver alguns assuntos pessoais.

Apesar da rotina do Japão me enlouquecer tambèm. Existe uma diferença entre enlouquecer no transito de São Paulo e enlouquecer com a rotina das cidades pequenas do Japão.  Aqui não existe stress no trānsito. Aliàs, nem existe transito pra mim hà anos, eu ando de bicicleta por todos os lugares. Fačo absolutamente tudo de bicicleta . Vou ao mercado, a praia, a prefeitura, e ao trabalho de bicicleta. Volto todos os dias para almoçar em casa, são apenas 5 minutos que gasto do trajeto da minha casa ao me trabalho.

Stress no trânsito? Nem sei mais o que é isto!

Acredito que 50% da minha neura adquirida em anos de transito engarrafado na cidade de São Paulo foram literalmente eliminados . Amo o silêncio das cidades japonesas. Aqui não se ouve uma buzina.

E andar de bicicleta durante a madrugada  sozinho? Seria algo inimaginável em São Paulo. Aliás, vocè até pode se arriscar , mas todo mundo sabe o risco que corre ao sair por ruas escuras . Aqui no Japão o maximo que pode acontecer é cruzar com um obaquê ( assombração) ou com algum velhinho  passeando com o cachorro as 4:00 hs da manhã.

As vezes esta vida bucólica e rotineira do Japão realmente me cansa, mas quando eu me lembro das longas horas no transito de São Paulo, dou graças a Deus , por poder viver assim bucólicamente.



sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Idolos , gente como a gente

                            

Meus idolos já faleceram. É nestas horas que me conscientizo que a vida é apenas uma longa viagem. 
                          

Nesta semana tive alguns insigths da adolescência ao começar a assistir alguns videos da minha banda de rock preferida , o Queen. Fiz parte do fã club desta banda nos anos 80 e cheguei a assistir um show ao vivo da banda no estádio do Morumbi. Ingresso que ganhei em um sorteio de uma rádio. Na época  eu era muito menina e não tinha condições de pagar uma apresentação como esta. Também não me lembro como os meus pais me permitiram ir assistir a um show de rock no estádio do Morumbi, sendo que o retorno era quase de madrugada, e eu era ainda menor de idade. Também não me recordo como foi que eu paguei a minha passagem de ônibus. Só me recordo que ao final do show , eu e uma amiga ( também menor de idade) voltamos a pé por um longo trecho da Avenida Francisco Morato.

Insigths da adolescência à parte, fui viajando nos tantos videos que encontrei sobre a banda e a vida do meu idolo : Freddie Mercury. Me recordo na época, que quando começaram rumores de que ele era gay , me decepcionei um pouco . Ídolos são perfeitos , idolatrados , e pensar que ele era apenas mais um ser humano cheio de conflitos , complexos , vicios e desejos carnais me frustrou na minha concepção de idolo.

Obviamente que na época eu era muito inexperiente para compreender que os nossos ídolos são feitos de carne , osso e sentimentos. Hoje, continuo admirando o meu idolo da adolescência pelo legado que ele nos deixou. Suas musicas, sua performance , sua personalidade, e um modo extravagante de lidar com a sua necessidade de se sentir preenchido .

Outro idolo , não menos famoso , era Elvis Presley. Assistia a todos os seus filmes na "sessão da tarde" . Ele era lindo e perfeito . Só que não.  Capricorniano , sulista ( diga-se machista) , Elvis era o Capricorniano perfeito com todas as suas imperfeições. O que muita gente não sabe ainda , mesmo depois de tantos anos da sua morte, é que Elvis era muito devoto a Deus. Também era aficionado por leitura , incluindo alguns livros sobre numerologia. Em uma de suas leituras , Elvis descobriu que o seu destino era o numero 8 . De certa forma , ele ja sabia que a sua vida seria um grande sucesso e que possivelmente morreria ainda jovem, aos 42 anos.  Talvez , por este saber  , ele louvasse tanto a Deus em seus ultimos shows. Quem não se lembra de Elvis cantando "  Gloria ,Gloria, Aleluia"?

Meus idolos da adolescencia eram meros mortais, dotados de dons que os diferenciavam da grande maioria , mas nunca deixaram de ser gente como a gente.  A admiração maior que podemos ter por nossos ídolos , é compreender a perfeição de suas proprias imperfeições , assim sendo: humanos.


Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto” (Êxodo 20. 4-5)

terça-feira, 29 de agosto de 2017

A ignorância do primeiro mundo



Se tem uma coisa que me irrita muito em viagens é ser confundida com uma Tailandesa , filipina ou outra raça asiática qualquer, menos japonesa. As minhas origens são japonesas , mas a minha nacionalidade é brasileira, portanto, sou uma nipo-brasileira. Será tão dificil entender?

Aqui no Japão o povo me considera estrangeira, mas quando sabem que o meu pai era um japonês legítimo , parece que me respeitam mais. Isto também cansa a minha beleza.

Mas quer me irritar de verdade?

Algumas pessoas do dito primeiro mundo não entendem que o Brasil ē um país totalmente miscigenado e multi-cultural. Existem negros descendentes de africanos, asiáticos descendentes de japoneses, coreanos e chineses, assim como muitos descendentes de europeus . A única origem pura de brasileiros são os índios, assim como em toda a América do Sul. Dificil entender ?

Quando me perguntam onde eu aprendi a falar tão bem o português, me dá uma crise de nervos. E quando me perguntam por quantos anos eu vivi no Brasil?Frequentemente os mais ignorantes são o povo  do Tio Sam .  Já me chamaram de Amazonian- Japanese. Como se fosse um gracioso elogio. . What the fuck?

Para mim é pura ignorância injustificável, afinal, hoje em dia existe o "Google " . Pesquisa no "Google" antes de falar com alguém de uma cultura que desconheça. Não faça o papel de ignorante cultural e geográfico.

E quando eu digo que falo quatro linguas ? Todas em nivel intermediårio, menos o português que é minha lingua madre. Não sei qual é a motivação que impulsiona  as pessoas a tentarem se comunicar comigo em espanhol ou japonês. Já que vai usar o google translator, comunique-se em português.

O meu inglês é nivel básico, e deixo bem claro. Mas alguns cidadões do primeiro mundo insistem em falar comigo apenas em inglês. Como se fosse minha obrigação falar mais uma lingua, além das outras quatro. Posto que, eles dominam apenas uma língua.

Povo do primeiro mundo. Acordem!!! Please! O mundo não se resume ao quintal da nossa casa.


Inteligência emocional



"...capacidade de identificar os nossos próprios sentimentos e os dos outros, de nos motivarmos e de gerir bem as emoções dentro de nós e nos nossos relacionamentos." (Goleman, 1998)

Há alguns ( muitos) anos atrás , tive acesso ao livro de Danyel Goleman, "A inteligência emocional", na época era um dos best sellers da psicologia. Começei a ler o livro e parei na metade, depois o emprestei a um amigo que reclamava demais das pessoas , e das circunstancias da vida.  Ele não leu , e nem  me devolveu o livro. Aliás, nunca empreste um livro a um amigo , se você ainda não terminou de le-lo. 

Como eu não terminei de ler o livro, fiquei apenas com o resumo da tese de Goleman na minha cabeça,  e aquela impressão de que pouquissimas pessoas no mundo teriam esta capacidade de entender e gerir os proprios sentimentos . Quem dirá enxergar o outro?

Eu defendo a minha própria tese. Pessoas que não se auto conhecem não são capazes de   entender o outro e as suas reações. Entender não é aceitar. 

À partir do momento em que começamos a compreender a raiz de nossas próprias emoções fica mais fácil visualizar e compreender uma situação emocional que direta ou indiretamente envolvam outras pessoas. 

Começei a ver as pessoas não somente como um corpo fisico e sim como a uma fonte de vibrações emocionais. 

Imagine aquele seu amigo que está muito acima do peso ,  e desorganizado , que sempre ameaça começar uma dieta , mas que nunca consegue começar absolutamente nada. Quem dirá terminar. Ou aquele seu amigo afro-descendente que insiste em conquistar e seduzir todas as mulheres de cor clara e estranhamente não possui nenhum interesse por mulheres afro-descendentes. Pior ainda , ofende-se , se você não aceitar as suas investidas e ainda te chama de racista. E os homens maduros e divorciados? Estes são cheios de traumas e carentes. Projetam nos outros um ideal de exigência afetiva que não conquistaram em relacionamentos anteriores. Estas situações cabem tanto para homens como para as mulheres. 

Entender a complexidade humana e ter a capacidade de enxergar o "invisível" nos torna gradativamente mais seletivos , silenciosos ( no sentido de não julgar) , e de certa forma impotentes. Não há como dizer ao outro: - Olha, você está com uma contuda errada!

Cada pessoa tem o seu tempo de compreender as próprias emoções , e isto , às vezes , leva uma vida inteira. 

Para aqueles que possuem a capacidade de perceber as vibrações alheias e as suas raízes, resta apenas observar , e permitir que sigam o seu caminho. 


sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Nada é perfeito


Venho analisando há anos , todos os mapas de sinastria de prováveis relacionamentos futuros, e devo admitir que demorei a entender que relacionamentos perfeitos não existem.

A minha busca pela perfeição humana é simplesmente utópica, tendo em mente que todo ser humano é imperfeito e sujeito a cometer erros. Inclusive eu mesma.

À partir do estudo de várias sinastrias percebi que existem vários pontos no meu proprio caráter que me impedem  de viver  relacionamentos mais construtivos e afetivos. Uma delas é a mania de intelectualizar os sentimentos. Coisa de Capricorniano, ne!

Seria muito comodo  viver relacionamentos que não nos causem nenhum tipo de desafio, onde o outro nos aceita como somos , mas nem todos os relacionamentos começam desta forma
empática. E pior, nem sempre podemos estar sob contrôle total quando o assunto é relacionamento.

Existe  um tempo certo  para amadurecer a relação e sobreviver a todos os desafios . Também não existem relacionamentos que começem com a garantia de que serà para sempre. Nada na vida é para sempre, nem nós mesmos.

Se tivéssemos um entendimento real  de que tudo na vida tem um começo, um meio e um fim , talvez nos dedicassemos muito mais a viver o hoje , sem criar grandes expectativas para o amanhã.

Viver aquilo que a vida nos oferece é sem dúvida alguma melhor do que não viver absolutamente nada. Contanto que, sejam relacionamentos sanos ,of course.




terça-feira, 22 de agosto de 2017

Reflexões de uma Lua Escorpiana



Meu mundo poderia ser dividido em duas partes, a parte pensante que vai lá no fundo de todas as questões existenciais do ser humano , e a outra parte que apenas observa sem nada dizer.

Nem sempre digo aquilo que penso, mas sempre penso naquilo que digo.  Chega um momento em que eu nem sei mais se estou agindo como penso ou se estou apenas reagindo as circunstâncias externas. Dá pra sacar a bananosa?

Saturno anda novamente formando algumas quadraturas nos céus . Tendo sempre a culpar as estrelas, pois é mais facil assim entender o meu estado de ânimo. Me sinto bloqueada. Parece que uma nuvem cinza tem me perseguido nos ultimos meses. Seria o excesso de horas alternadas no trabalho?

Claro que este é um ponto totalmente desfavorável para o meu humor, mas no momento não há o que se fazer.

Hoje pela manhã encontrei um rapaz ( japonês) que fez a entrevista de trabalho junto comigo. Japoneses são muito timidos e dificilmente puxam assunto com alguém que eles não conhecem bem, mas o japinha me cumprimentou e me perguntou se o serviço estava muito pesado. Eu respondi que não, que estava tudo tranquilo. Ele ao contrário de mim parecia muito abatido, mais magro do que já era.  Na hora me deu uma pena de ve-lo assim tão acabado. Fiquei pensando mil coisas, pra variar.

Será que vale a pena viver assim ? Aceitando todas as regras , mudando alternadamente a hora de dormir, de comer, e pior ainda, privando-se de ter finais de semana livres em troca de alguns milhões ( força de expressão, aqui ninguém é milionário) , deixando de ter ânimo para sair à passeio para se poupar para outro dia de trabalho?

Não, não vale a pena. A vida é uma só, e temos que vive-la plenamente , fazendo ao menos uma coisa prazerosa todos os dias , uma viagem dos sonhos uma vez ao ano, viver um relacionamento amoroso que amplie nossos horizontes , amar e ter o direito de ser amado.

Não são as coisas materiais que me importam no momento, para dizer a verdade, creio que nunca foi. A minha maior busca sempre foi pela não materia , aquilo que não  pode ser visto e nem tocado. Mesmo sabendo que o intocável era a minha verdadeira praia, dediquei toda a minha vida a correr atrás de coisas palpáveis . Um verdadeiro paradoxo que nunca funcionou muito bem, nem em questões materiais e nem nas não materiais.

Todo momento de reflexão é meio deprimente, mas como tudo na vida , tem o seu lado bom. Compreendi que devo deixar para trás certos conceitos que me bloqueiam e liberar o idealismo que tenho guardado só para mim, como se não fosse possivel realizar um ideal à partir de uma pequena chama .

Sim, minha mente é completamente idealista e sonhadora. Só não tenho deixado ela se manifestar enquanto vivo aquilo que para mim está bem longe de ser o meu ideal de vida.

Se as estrelas não estão ajudando , tenho ao menos o meu livre-arbitrio para começar a desbloquear o meu mundo interno. Totalmente idealista e vanguardista.

O desafio é vencer o medo de me dar mal. Que cagona!


segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Nem tudo é tão simples como parece

                    Gisele Bundchen , a nossa über model. Orgulho nacional. 


Há anos que analiso detalhadamente o meu proprio mapa Natal e o de alguns conhecidos , às vezes analiso mapas de personagens famosos e polêmicos da atualidade ou do passado também.

Tal curiosidade me fez analisar vários mapas , obviamente que apenas como uma curiosa porque nunca estudei a astrologia a fundo. Nestas minhas viagens por  mapas alheios pude compreender que nem tudo que parece óbvio é tão obvio assim.

Mapas natais com vários aspectos na casa 2 poderiam ser vistos como o mapa do Rei de Midas, aquele que transformava em ouro tudo aquilo que tocava. Assim como na lenda, um mapa com vários aspectos benéficos financeiros nem sempre é sinal de felicidade . Ter muito nem sempre é ter tudo.

Claro que eu adoraria ter nascido com o mapa do Neymar , ou da Gisele Bundchen , cercada por tudo aquilo que os beneficios materiais nos proporcionam. Mas, será que eu teria estômago para suportar a inveja que a nossa uber model teve que enfrentar no inico de sua carreira?

Em algumas entrevistas Gisele Bundchen chora ao recordar de toda a solidão e do ambiente de inveja e competições que ela teve que enfrentar para chegar aonde chegou.

Nosso craque Neymar também tem um mapa ótimo para as finanças . Mas será que ele tem estômago o suficiente para conviver com tanta gente que se aproxima dele por mero interesse?

E a responsabilidade de ser sempre o melhor, dar o melhor de si?

Apesar do meu Sol ter muitas caracteristicas ligadas a responsabilidade, sou daquelas que tudo na vida tem um limite suportável.

O meu mapa natal não tem nenhum aspecto de grandes façanhas na vida, e posso até dizer que o meu mapa é comum demais , sem grandes acontecimentos, nem trágicos e nem sortudos.

A cada pessoa cabe um papel na vida, seja o porteiro do seu prédio, a copeira do escritório , ou o presidente de uma grande multinacional. Nem um e nem outro é mais feliz ou menos feliz  por sua condição social.
 Aquilo que vale é viver a dança da vida sem invejar a grama do vizinho. Afinal, nem todo mundo tem talento para ser um bom jardineiro.


A solidão de viver no exterior

I


Quando nos decidimos  por tentar a vida em um outro país sempre sonhamos com lugares novos, culturas diversas, caras novas , e um milhão de coisas novas por conhecer. Eh! No começo é bem assim mesmo, tudo é novidade , tudo é fantástico.

Com o passar da fase de empolgação vem a rotina, e aquela paisagem que era tão fantástica passa a ser comum, aquelas caras novas já não são tão desconhecidas . Aos poucos vamos nos habituando com o clima , as pessoas , a paisagem, e até pegamos alguns "trejeitos" da cultura local. Já temos endereço fixo, um cartão de residente , um trabalho , alguns novos conhecidos e um maior dominio da lingua local. Tudo parece estar encaminhando muito bem para a nossa integração ao país. Tudo aquilo que haviamos planejado começa a se concretizar . Deveriamos dar pulos de alegria pela nova conquista em terras estrangeiras. Só que não! Sempre falta algo.

As vezes dá aquela vontade louca de jogar uma conversa fora , contar piadas, ou comentar sobre algum programa  de tv que adorávamos assistir no passado, tipo "Panico na tv" , ou qualquer outro programa de humor mais escrachado . Nestas horas ficamos só na vontade, primeiro porque nem todo mundo gosta deste tipo de programa , e segundo porque nenhum nativo local ( seja qual for o país) não vai saber do que se trata o assunto. Então, nos calamos. Rimos sozinhos , em casa mesmo.

Quando conhecemos alguém novo no trabalho , ou em algum evento , ou até mesmo quando reencontramos um antigo conhecido ( nativo) , dá vontade de apertar a mão, dar dois beijinhos no rosto, ou se ja é alguém conhecido , de dar aquele abraço. Em terras estrangeiras ficamos apenas na vontade. Os habitos locais nem sempre são os mesmos e muitas vezes temos que reprimir a nossa calorosa forma de saludar as pessoas.

Dependendo do país e da cultura onde se vive , até o modo que nos vestimos deve ser repensado. Muitas vezes é uma exigencia do proprio clima do país . Não dá para sair de bermuda e camiseta o ano todo. Aquela pele bronzeada da cor do pecado? Esquece! Seu novo estilo será o branco total por vários meses.

Em alguns países , o povo nem curte muito bronzear a pele no verão , no caso , o povo japonês. Poucas são as pessoas que iriam passar um feriadão esparramados na areia da praia. Daí, você vai sozinho , mas evita bronzear demais a pele. Ninguém vai apreciar mesmo.

Falar muito alto também é um habito nosso que não é muito apreciado em algumas culturas. Reaprendemos a falar em tom baixo . Quer gritar? Vai pra Itália.

Natal e Ano Novo são as piores datas comemorativas para se celebrar estando no exterior. Nem todos os países comemoram o Natal de igual forma, e nem todas as comemorações de virada de ano são tão calorosas e barulhentas como as nossas. Além da falta de calor humano e espontaneidade , vem a parte pior, a falta da familia e dos velhos amigos. 

Pior ainda é nos conscientizarmos  aos poucos que de certa forma perdemos a nossa identidade. Aquilo que levamos na alma são as nossas lembranças , que nem sempre podem ser compartilhadas, e no bolso,  o cartão de residente. 

Por estas e outras , viver no exterior é viver todos os dias na companhia daquela nossa amiga , "a solidão" .
Ela , que nos acompanha a todo instante , provocando aquele sutil sentimento de angústia ,  quase que imperceptível . É como uma dor de barriga momentânea e suportável, mas sempre indesejável .

Viver no exterior é ainda um sonho para muitas pessoas, e sem dúvida alguma é uma experiência muito valida em todos os sentidos , porém, como tudo na vida tem os seus prós e contras, a nossa legítima e fiél companheira , " a solidão" , estará sempre presente em nossas vidas. Estejamos sós ou acompanhados , ela sempre se fará presente em algum momento da nossa curta ou longa jornada por terras estranhas. 






sexta-feira, 21 de julho de 2017

O Sol




"O Sol invadiu o meu coração, de repente , me invadiu de paz..."

Fiz um trocadilho da canção "Paz" da Zizi Possi para expressar o bem que ele faz, o Sol.

Estamos em pleno verão aqui no Japão, o Sol à pino com uma temperatura à cerca de 30 graus e aquela umidade terrivel que nos faz suar até estando parados na sombra de uma àrvore. Mesmo assim , eu não poderia deixar de aproveitar o bem que ele nos faz.

Uma voltinha de bicicleta ( cerca de 1 hora e meia) , o Sol rachando os miolos, aquele ventinho fresco, quase morno , batendo  no rosto e eu de shorts e camiseta pedalando pela cidade. Seria uma coisa óbvia em qualquer país do ocidente, mas as japas aqui se cobrem dos pés a cabeça para sair no verão. Talvez por esta razão elas sejam tão introvertidas e aparentem ter o corpo franzino. É falta de arroz com feijão , bife acebolado e Sol.

Sem duvida alguma o Sol muda os nossos animos, e com certeza o povo brasileiro é assim todo extrovertido e alegre por causa do excesso de Sol o ano todo.

Uma paradinha para almoçar e a tarde vou dar aquele ligeiro passeio até a praia.

Sol e bicicleta, nada mais saudável!

Namastê!

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Gente kurai



A palavra  "kurai" em japonês significa escuridão. Podemos usar esta palavra para nos referirmos a locais, situações ou pessoas. O povo japones  é sem duvida alguma muito civilizado ,e eu tenho uma profunda admiração e respeito por este modo de ser dos japoneses . Porém,como nem tudo na vida é perfeito, a falta de sorrisos e atitudes  espontâneas desta raça me incomoda profundamente.

Nos ultimos dias tenho topado com gente que não cumprimenta , gente que não sorri, gente exageradamente timida, e gente que esconde o rosto atrás daquelas mascaras cirurgicas. Tem japa que usa mascara da hora que chega ao trabalho até a  hora de ir embora. Alguns eu nunca vi o rosto.

Claro que nem todo japonês é assim, mas de certa forma é uma caracteristica comportamental bem frequente por aqui.

O impacto deste tipo de convivio tem mexido um pouco com os meus animos, ao ponto de me causar um certo mal estar geral. É muita gente "down"! E como eu sou uma antena parabólica , tenho absorvido toda esta carga negativa . Talvez eu esteja ficando igual à eles .

Aqui no Japão começou o verão e eu não vejo a hora de ir à praia . Sabe-se que a maioria das mulheres japonesas fogem do Sol como quem foge do diabo, e mesmo em pleno verão a mulherada sai de chapéu, camisa de manga longa e sombrinha . Praia então, nem pensar.

Mas será que evitar tanto assim o Sol não seria um ponto negativo ? Afinal, todo mundo precisa de vitamina D , e passar meses, ou anos evitando o Sol não só causa problemas fisicos como psicológicos.

A grande maioria dos japoneses sofrem de dores por todo o corpo, e ao envelhecer começam a ter uma grande perda ossea. Alguns idosos começam a ficar com a coluna curvada. E as epidemias de gripes, viroses, e alergias estranhissimas que este povo contrai com frequência? Por onde anda a imunidade deste povo?Nem vou comentar aqui sobre os japas , ainda jovens, que se trancam em seus quartos e não saem de lá nem com reza braba, e nos altos indices de suicidio ne?

Vitamina D nesse povo! Pelo amor !!!

Quero voltar a viver em Okinawa. Lá o povo é muito mais alegre. 

A razão? Sol o ano todo e muita praia maravilhosa! 




quarta-feira, 5 de julho de 2017

A realidade japonesa


Passaram-se mais de 10 anos desde a primeira vez que ingressei em uma grande empresa japonesa de fabricação de vidros especiais. Para dizer a verdade,  é a maior industria japonesa . Entre idas e vindas , creio que esta seja a quarta vez que retorno para a mesma empresa.

A cada ano , ou a cada regresso , tenho notado muitas alterações no aspecto funcional da empresa , em virtude de novas leis trabalhistas e de demandas do mercado que já não são mais as mesmas desde a crise Global de 2008 .

O aspecto que mais me chama a atenção é o nivel de inteligência dos novos funcionários , na sua grande maioria de japoneses tercerizados. Segundo o supervisor da minha empresa contratante , a tendência agora no Japão é a de as empresas terceirizadas ( hakkens) começarem a contratar pessoas totalmente despreparadas e de um nivel de inteligência baixissimo . Não que seja uma estratégia para escapar da falta de mão de obra japonesa, na realidade é aquilo que se tem a disposição no atual mercado de trabalho japonês.

Para os contratantes japoneses acostumados a trabalhar com a força de trabalho dos brasileiros , ficou apenas a saudade, e a esperança de que os descendentes brasileiros regressem ao Japão.

Durante este um mês desde que regressei , percebi uma certa dificuldade em me comunicar com os novos funcionários contratados japoneses. Cheguei a pensar que o meu nivel de comunicação em japonês tivesse decaido e que eles não estivessem entendendo a minha pronuncia.

Ontem, precisei falar com o meu chefe para comunicar a ele que eu não estava conseguindo passar instruções simples de trabalho para os meus novos colegas de trabalho . Por mais incrível que pareça , ele automaticamente entendeu que o meu problema era o mesmo problema que ele enfrentava , ou seja, se fazer entender em lingua japonesa. Alguns japoneses mais antigos de trabalho até fazem piadas com a situação , dizendo que a maioria dos novos contratados ( apesar de japoneses) não são fluentes em japonês por não serem capazes de entender instruções simples sobre o trabalho.

Portanto, chego a conclusão de que compreender 100% da lingua japonesa nem sempre é um pre-requesito . Obviamente que é necessario saber ao menos 30% de japonês e o restante dos 70% ser dividido entre intuição e raciocinio lógico.  Coisa que brasileiros tem de sobra e japoneses não tem.

A imagem que  o mundo tem do Japão e de seu povo é totalmente ultrapassada nos dias de hoje. Os jovens japoneses que deveriam ser a nova força de trabalho japonesa tem se resumido em uma população apática e sem grandes ambições. Muitos jovens que saem para o mercado de trabalho japones preferem fazer bicos ( arubaito) do que ingressar em um trabalho vitalício e fixo. Aqueles poucos que tem ambições e capacidade intelectual normalmente  são automaticamente promovidos e transferidos para outras localidades.

Não vamos desmerecer os grandes nomes da industria japonesa do passado, mas a realidade japonesa de hoje é bem diferente...




terça-feira, 27 de junho de 2017

O amanhã



Se tem alguém que vive muito mais no futuro do que no presente , este alguém sou eu. Panejo tudo com antecedência e tudo o que faço tem um pensamento no futuro. 

Estranhamente, este meu modo de  levar a vida não me causa nenhum tipo de ansiedade. Planejar o futuro me traz uma certa tranquilidade. Na realidade é apenas um instinto de precaucação . Até quando saio de casa , nunca dispenso um guarda-chuvas , mesmo que a meteorologia afirme que o dia será ensolarado. 

Prever as consequências de nossos atos no futuro pode ser considerado um privilégio para muitos , porém, ao mesmo tempo nos desencoraja a correr riscos. 

Capricornianos são famosos por serem os "agua- festa" de qualquer situação inusitada, seja ela relacionada a acontecimentos cotidianos , como também em questões afetivas e principalmente de cunho financeiro. Digamos que , nós Capricornianos somos aquele investidor pessimista que só investe em áreas seguras e nunca dá o famoso "pulo do gato" , afinal, somos cabras monteses. 

No amor então, piorou . Se a paixão cegar um Capricorniano , pode ter a certeza de que ele estará muito inseguro , sem saber se fez a escolha certa. Visualizar o futuro da relação é uma facilidade que nós "agua-festas" temos em comparação com outros signos do zodiaco, simplesmente pelo fato do nosso amor ser muito mais cerebral . Amamos com a mente . Ouso até em dizer que o coração de um Capricorniano pulsa no cérebro. 

Estou explanando sobre este carater puramente Saturnino para relatar um fato que me ocorreu esta semana. Aliás, me ocorre sempre , mas este caso em questão me deixou um pouco intrigada comigo mesma. Pensei comigo mesma: - Mas será que a minha racionalidade não tem limites?

Durante a semana passada estava em contato com um futuro ex-pretendente. Sim, já o considero descartado de ante-mão. Viuvo, pai de um adolescente e de lingua inglesa buscando desesperadamente por uma companheira que o ajude a criar o seu filho. Não é bem o perfil que eu estou buscando para mim. Então, propus uma amizade sem grandes expectativas em uma mensagem bem clara, objetiva e formal. Depois de alguns dias veio a resposta. Um email pra lá de meloso e fantasioso, onde o tipo se dizia apaixonado por mim , e no final da mensagem um link para uma musica de Whitney Houstoun . 

Percebe-se que o tal  nem se quer leu o que eu escrevi para ele, ou simplesmente ignorou as minhas palavras , ou pior ainda, em uma atitude desesperada de prender a minha atenção de alguma forma me enviou uma mensagem pra lá de romantica. 

Nestes casos, a reação de um Capricorniano vero é simplesmente a de não levar a sério uma pessoa tão impetuosa que parece flutuar nas nuvens, ou simplesmente subestimar a nossa inteligência. 

Automaticamente me vem em mente como seria viver uma relação séria com alguém que reage desta forma. Primeiro, ele não leva em conta as nossas considerações . Segundo, sonha demais e é pouco prático. Terceiro, está bem claro que o seu objetivo é impor a companheira a educação e criação de seu filho adolescente. O futuro desta relação está decididamente fadada ao fracasso. 

Critica demais? Analitica demais? 

Agora vou dizer uma frase bem caracteristica de nós Capricornianos: - Não sou pessimista, sou apenas realista! 

Em tudo nesta vida a capacidade de visualizar o futuro de forma pragmática nos livra de viver situações que fogem ao nosso controle. Não há como deter  o outro quando o castelo está montado. 

Aprender com os nossos proprios erros é algo que nos traz sabedoria ( ao menos deveria), porém ,    compactuar com os erros alheios é burrice. Até mesmo quando somos nós mesmos os construtores de grandes castelos de areia , nós Capricornianos temos a capacidade de enxergar lá na frente e a não criar expectativas irreais. 

Vive-se aquilo que a pessoa, ou a situação tem a nos oferecer e ponto final!

Seria tão mais simples viver relacionamentos saudáveis se as pessoas fossem mais empáticas umas com as outras e soubessem a diferença entre planejar o amanhã e criar expectativas egóicas no presente...




terça-feira, 20 de junho de 2017

Sobre relacionamentos



Hoje eu me peguei pensando na causa do meu desinteresse em viver um relacionamento sério . e cheguei a conclusão de que relacionamentos sérios , após a uma certa altura da vida , são um mal necessário. Ninguém quer passar a vida inteira sozinho e envelhecer sozinho .Não é mesmo?

O problema dos relacionamentos sérios na maturidade é a carga de seriedade , responsabilidade , obesidade , entre tantos outros fatores ligados a "idade".

Ahh, meus amores adolescentes ! Que saudades!

Quando se é ainda jovem ,cronologicamente ou de espirito, nunca perdemos aquele brilho no olhar, aquela sede de viver e provar o novo. Quando envelhecemos junto com as nossas experiências passadas , aquilo que mais buscamos é não cometer nunca mais os mesmos erros do passado.

Pois aí está a chatice de se viver um amor maduro. Ninguém mais quer errar. Ninguém mais quer se iludir .

Se a graça de viver um novo relacionamento é se apaixonar e correr o risco de se iludir , qualquer relacionamento que comece de forma muito ponderada com base em experiências passadas deixa de ser autêntico. É apenas mais uma formula que pode nem vir a funcionar.

O amor necessita do brilho no olhar em seu primeiro encontro. Pede sedução e muita ilusão. Apaixonar-se ao primeiro momento é revitalizante.

E não me venham com esta história de que paixão não é amor! A paixão é apenas a primeira etapa de tudo que está por ser vivenciado dentro de uma relação saudável.  Obviamente que não me refiro as paixões doentias onde um quer dominar o outro. Isto não é paixão, é possessão.

Nesta fase da minha vida " madura" , aquilo que mais encontro disponível por este mundão a fora, são pessoas envelhecidas e carentes que buscam um companheiro de vida , ou alguém mais jovem para sentirem-se rejuvenescidos.

Minha gente! Se uma pessoa madura busca alguém para se relacionar que lhe sirva de muleta para a solidão ou busca no outro o elixir da juventude , esta pessoa já está literalmente no fim da vida.

Relacionamentos maduros não deveriam ser tão óbvios ...e tão chatos.


quarta-feira, 14 de junho de 2017

Trabalhar com japoneses

               Alunos do ensino fundamental japonês em horário de souji ( limpeza) 


Ao contrário do que muita gente pensa os japoneses não são uma raça tão inteligente assim. A verdadeira capacidade japonesa se concentra na disciplina e na dedicação. Sem dúvida alguma , os japoneses são muito disciplinados . Isto se aprende cedo nos primeiros anos de vida escolar. Eu até ouso afirmar que a educação japonesa é merito da disciplina escolar e não propriamente da educação recebida pelos pais. É como se o dever de disciplinar fosse delegada as escolas . Em parte é bom, em outra não.

Nos meus mais de 13 ou 14 anos de Japão , convivendo com as minhas origens pude perceber o quanto os japoneses são condicionados  a seguir uma "ordem" , tanto nos relacionamentos pessoais como no ambiente de trabalho. Quando tudo está em ordem , os japoneses trabalham eficientemente, quando não, os japoneses na sua grande maioria são incapazes de buscar soluções imediatas e eficazes. A impressão que eu tenho é de que eles estão sempre delegando responsabilidades.

Os funcionários vitalícios de algumas grandes empresas são extremamente acomodados , do tipo que só fazem aquilo que lhes competem , ou seja, a visão de um trabalhador japonês é limitada apenas ao seu setor.

A comunicação também é algo deficiente em ambientes de trabalho japoneses. Geralmente um setor que depende de outro setor para dar um bom andamento em algum processo não se comunica eficientemente . Quando surge algum problema ou dificuldade eles tendem a delegar a solução à alguém , ou simplesmente ignoram que existe algo que deva ser reparado .

Nas reuniões matinais quem fala é o lider, os seus subornadinados  apenas ouvem. Ninguém diz absolutamente nada, ninguém tem dúvidas. Assim que a reunião matinal termina, estes que nunca se pronunciam começam a questionar a pauta da reunião entre eles. É bem claro e notório que a maioria dos japoneses são altamente subordináveis e submissos . Se o chefe disse que é assim, ninguém vai questionar. Não na presença dele. E assim dá se o inicio de grandes problemas na boa comunicação entre os departamentos de uma empresa de médio e grande porte.

Algo que me deixou impressionada durante  a minha primeira semana de retorno ao meu antigo trabalho é a falta de educação de alguns funcionários recem contratados. Saudar as pessoas logo ao chegar no trabalho é algo óbvio em qualquer país do mundo, mas alguns japoneses não são capazes , nem mesmo por educação. Há aqueles que usam máscaras durante todo o periodo de trabalho , andam de cabeça baixa e se escondem pelos cantos , evitando o contato com os colegas de trabalho.  Tem uma garota japonesa recém contratada que se esconde no banheiro feminino até terminar a sua hora de repouso. O pior fato , que aliás, me causa até um mal estar , é chegar na sala de reunião matinal e perceber que 100% das pessoas presentes aguardam o inicio da reunião com a cara enfiada no celular e nem se quer olham para os lados quando alguém mais entra na sala.

Obviamente que nem todos os japoneses são assim, mas é como se todos seguissem um tipo de comportamento uniforme . Parece que eles , os japoneses estão sempre esperando serem liderados por alguém, ou seja, é a famosa hierarquia japonesa imperando nos ambientes de trabalho que os impedem de serem mais autênticos.


domingo, 11 de junho de 2017

Perigo virtual



Não acredite nem na sua própria sombra quando o assunto é a virtualidade. O seu melhor amigo pode ter sido rackeado nas redes sociais. 

Há alguns meses atrás , quase enviei uma certa quantia em dinheiro para o meu dentista sem saber que o seu perfil no facebook havia sido rackeado. Só não efetuei a transação bancária porque eu não tinha como fazer transferências on line , posto que, estou aqui do outro lado do mundo e mesmo que fosse on line eu deveria ir a uma agencia western union .

Eu desconfiei da maneira como ele se referiu a mim, me chamando de "querida" , mas quem poderia imaginar que o meu pacato dentista com pouco mais de 30 contatos seria rackeado?
Desconfie sempre quando o assunto envolver dinheiro ou dados de identificação pessoal.

Um outro fato que ocorreu comigo quase passou desapercebido . Um tipo se dizendo ser tio de um tenista famoso francês me contactou no match.com. , um site que para mim é um dos mais sérios pelo fato de ser um site pago. Se ele era realmente o tio desse famoso tenista não sei dizer, me parece que sim. Porém, ele usava o nome do sobrinho para se auto promover , como se ele o acompanhasse em todas as turnês, inclusive no Japão. Em seu perfil não haviam fotos das turnês , e nenhuma foto ao lado do famoso sobrinho. Porém ao pesquisar o perfil do famoso sobrinho haviam fotos recentes feitas em um torneio no Japão, que aliás, não contava com a ilustre presença do tio.

Neste caso , talvez o tipo nem seja fake, mas ele se auto promovia utilizando o nome do sobrinho famoso para fazer contatos romanticos virtuais com propostas de trabalho irreais. O problema dele é que ele era muito feio e não prendia muito a atenção de ninguém por muito tempo. Se ele fosse mais bonito, quem sabe?

Nestas ultimas semanas recebi uma mensagem de um tipo muito simpatico no site Wayn . Ele tinha fotos somente com uma filha ( ele dizia ter duas) , falava inglês ( sem o uso de virgulas) , espanhol e turco. Logo fui pesquisar no facebook e encontrei seu perfil com uma foto mais recente e todos os dados comfirmavam ser ele . Pesquisei mais um pouco e encontrei um site russo onde ele tinha mais fotos e até um video com uma filha apenas, sendo que ele afirmava ter duas. Não sei dizer se este perfil russo também é falso , mas ele não havia comentado comigo que falava russo. Achei estranho, mas continuei mesmo desconfiada a falar com ele via Skype.

Como o tipo era muito apressado e já falava em vir ao Japão e dizia " eu te amo" com muita facilidade,  eu decidi dar um break nele. A reação dele foi surpreendente e quase que cai na conversa do ricasso apaixonado. Graças a minha frieza Capricorniana aquilo que me fez desistir deste contato foi o excesso de sentimentalismo . Muito exagerado para o meu gosto Capricorniano. Capricornianos odeiam dramalhões românticos . 

No final de duas semanas de contato , justamente quando eu começava a demonstrar desinteresse por ele veio a revelação. Ele precisava de um favor meu muito urgente.  Ser a sua beneficiária em um seguro no valor de 800.000 u$ . Obviamente que a coisa me pareceu mais suspeita do que já estava sendo e eu me recusei . Afinal, o meu mapa astral para relacionamentos novos estava em quadratura, acusando relações instáveis e até mesmo pouco confiáveis. 

A partir daí as chantagens emocionais foram inúmeras e ineficazes para derreter o meu frio coração Capricorniano. Ainda dei uma lição de moral no tipo , dizendo- lhe que em questöes que envolvem quantias altas há que se precaver de ante-mão e contratar um advogado e não estar pedindo favores a estranhos pela web.

Não sei qual era o intuito do golpe porque não chegamos as vias de fato, Talvez pedir meus dados pessoais mais para frente, ou alguma garantia para ser beneficiária de uma apólice de 800.000u$ .

Desta vez me safei . Fale de tudo comigo , menos de dinheiro. Não cola e nunca vai colar. Capricornianos são bem desconfiados quando o assunto é monetário. Teria que ser alguém bem próximo para eu poder considerar a hipótese de por a mão no bolso. Tipo o meu dentista , mas ja combinamos de não pedir dinheiro um para o outro via messenger.

Na mesma semana em que contactei o tal ricasso apaixonado, recebi um email de confirmação de senha do meu facebook. Alguém estava tentando alterar a minha senha .

Por estas e outras, decidi excluir o meu perfil de alguns sites e deletar algumas fotos do meu perfil. Todo mundo está exposto a ter o proprio perfil hackeado , ou as fotos roubadas na net. Com certeza o ricasso apaixonado , o verdadeiro  , teve suas fotos roubadas e nem sabe.

Talvez até mesmo as minhas fotos já devam  ter sido copiadas . Pode ser que eu esteja em algum lugar do mundo com um perfil "maravilhoso" e apaixonado pedindo dinheiro ou favores de velhinhos carentes pela web..


quarta-feira, 7 de junho de 2017

Felicidade



Dizem que a felicidade é feita de momentos. De certa forma eu creio que seja assim mesmo, pelo menos eu não conheço ninguém que viva 24 hs por dia feliz da vida.

 Há aquelas pessoas que fizeram escolhas acertadas na vida e que de um modo geral podem ser consideradas pessoas afortunadas, mas ninguém está livre de viver alguns periodos menos afortunados, não é mesmo?

Apesar de alguns aspectos de Saturno em quadratura no meu mapa, o meu momento hoje é de muita felicidade , e principalmente de gratidão.

Nos ultimos anos passei por grandes desafios fisicos que me renderam uma possivel hernia, mas como sempre, Deus sempre me acolhe e me direciona quando estou beirando  o meu   limite, quer seja fisico, quer seja emocional.

Talvez ,    o titulo deste post deveria ser "gratidão" , ao invés de felicidade. Aquilo que sinto hoje é uma mescla de gratidão e satisfação. Nem tudo na minha vida está em ordem ainda. Tenho questões familiares pendentes , um mês meio escasso financeiramente , além do desafio de me habituar fisicamente  ao novo ritmo de trabalho em turnos .

 Apesar  dos pesares , e da insegurança que sempre me ronda à cada mudança de trabalho e residência ( foram várias) aqui em terras nipônicas, ainda sou muito grata a Deus por me permitir retornar ( inúmeras vezes) ao meu antigo trabalho e a minha antiga cidade que já a considero como minha cidade natal aqui em terras nipônicas.

Vivenciando mais este momento de mudanças na minha vida , pude compreender que , ao menos para mim, a felicidade está muito ligada a segurança. Como boa Capricorniana , a segurança quer seja ela financeira ou emocional é a base de tudo para poder enxergar o mundo de uma forma positiva e criar novas conexões com o meio em que vivemos.

Não sei por que ? Tenho medo de afirmar que estou muito feliz atualmente. Talvez porque eu tenha uma profunda consciência de  que tudo na vida muda.  Nada é para sempre . É um eterno  ciclo de mudanças e transformações . Hoje estamos bem, amanhã poderemos perder este estado de ânimo.

Por ter esta compreensão da vida , que aliás nem é uma grande descoberta, aproveitarei ao máximo este novo periodo de felicidade . Que sei, vai passar...

Namastê!


segunda-feira, 5 de junho de 2017

Sonhos & metas


Como boa Capricorniana, tenho sonhos como a todo mundo, a única diferença é que tais sonhos devem ser palpáveis. Seja a curto, médio ou à longo prazo, não importa.

Apesar de ter uma mente extremamente racional , tenho lá os meus sonhos de adolescência. Na época , eram apenas sonhos de uma adolescente como outra qualquer. Dentro da realidade que eu vivia eram sonhos praticamente irrealizáveis.

O tempo passou, eu cresci , enfrentei alguns desafios desanimadores em minha vida pessoal e profissional. Até  descobrir ( a duras penas) que a realização daqueles meus  sonhos de adolescência dependiam apenas de mim e da minha determinação em transformar tais sonhos em metas pessoais.

O tempo ( chronos) contribuiu muito para me ajudar ( ás vezes desafiar) a compreender que não existe um tempo certo para a realização e concretização dos nossos mais puros sonhos de adolescência. Aquilo que conta de verdade é manter a nossa determinação em realiza-los em algum momento , mesmo que no curso de toda uma vida os nossos sonhos não se realizem tão perfeitamente como o esperado.

É até estranho uma Capricorniana falar sobre "sonhos" , mas existe uma grande diferença entre sonhar acordado e não fazer absolutamente nada , e sonhar com os pés na terra. Movendo-se e direcionando a vida e os interesses em torno deste tão almejado sonho de adolescência.

Aos poucos , tal qual a uma cabra  montês aquilo que parecia inalcançável começa a tomar forma, e o cume nem parece tão distante do caminho que ainda teremos que percorrer.

Sonhe. Sonhe grande, mas não se esqueça que os sonhos são apenas idealizações de nossa mente criativa. Para realiza-los e torna-los palpáveis é preciso um ingrediente chamado "determinação".

Never give up!


sexta-feira, 2 de junho de 2017

Ser uma pessoa desagradável é muito simples



Várias análises de sinastria e o resultado é quase sempre o mesmo . Tem algo em mim que desagrada parceiros em potencial. Apesar de outros aspectos favoráveis , este que me descreve como algo desagradável me chama muito a atenção.

Eu tenho uma explicação muito simples . Eu não sou de agradar ninguém por muito tempo, nem mesmo por educação. Aliás, às vezes dependendo do meu humor eu sou é grossa mesmo. Totalmente indelicada. 

Fora estas questões desagradáveis no caráter, sou daquelas que come em cima do teclado do computador e deixa migalhas presas entre os teclados .Também sofro de flatulência 24 horas por dia . Só não arroto porque não sei fazer isso ainda, já tentei tomando Coca-cola , mas não consegui. Vou fazer um curso com a Kéfera.

Meu perfil nas redes  sociais é todo fino, com fotos de viagens, óculos ray ban , e muitas selfies super produzidas e retocadas. Na vida real também sou assim, só que não. Nem sempre estou usando meus óculos Ray Ban , comprados na Itália ( uso mais o meu óculos de 50 reais ) , nem sempre tenho tempo nem dinheiro para viajar e nem sempre estou super produzida.

Minhas meias estão todas encardidas por mais que eu lave e esfregue. Também já usei o mesmo par de  meias por mais de dois dias , virando-a do avesso.  Já colei pivô com super bonder . Como muito pão com ovo . Ao invés de assoar o nariz eu cutuco. 

Apesar de apreciar bons vinhos, aqueles que mais se adaptam ao meu paladar são os mais baratos. Adoro a comida mediterrânea , mas morro por um arroz com feijão e farofa temperada. Minhas lojas preferidas no Brasil são a Renner , a Zara , a C&A e a lojinha de 1,99 do chinês. Sou super simples , apenas tenho bom gosto e bom senso ao me vestir. 

Falo quatro linguas e poderia me considerar uma poliglota com um belo potencial profissional , mas tudo o que eu aprendi foi sozinha. Nunca frequentei as melhores escolas. Aliás, eu frequentei mais greve de professores do que aulas na rede estadual. 

Ah, em uma ocasião, fui reclamar para o meu namorado ( meu ex) que ele deveria ter mais educação e parar de peidar na minha frente. Daí ele respondeu : - E você que não para de peidar enquanto dorme?

Esta revelação abalou nosso relacionamento e eu nunca mais tomei leite , nem iogurte por muitos anos. Também não dormi mais na casa dele. 

Será que são estas características que fazem de mim uma pessoa um tanto o quanto desagradável nos relacionamentos a dois? 



terça-feira, 30 de maio de 2017

Viver com criatividade



Viver em um outro país com uma lingua e cultura totalmente diferente daquela a que estamos habituados requer aquele velho jogo de cintura para nos adaptarmos as mudanças, porém, o mais importante é usar o máximo de nossa capacidade intelectual para amenizar os desafios que iremos enfrentar.

Sendo mais clara e explicita o possível. Se  você não  é um acomodado e sabe utilizar-se de sua capacidade intelectual para criar e reinventar sua propria vida , nada, absolutamente nada será impossível em terras estrangeiras.

Vencer a barreira da lingua local é o primeiro e grande desafio . Para aqueles que são acomodados será sempre um desafio desanimador. Para aqueles que desafiam os seus proprios limites terá sempre um sabor de vitória ao final. Tudo na vida começa pela boa comunicação.

Já dizia aquele velho ditado popular : " Quem não chora não mama " . Em terras estrangeiras o choro tem que ser na lingua local.

O respeito à cultura local é outro ingrediente importantissimo para se viver bem e integrado a realidade que nos circunda. Deixar de lado os nossos velhos hábitos culturais para abrir espaço para o novo também se faz necessário. Não deveriamos nunca nos prender em comparações. Diferenças culturais  existem, e isto é um fato real à ser aceito e compreendido, jamais questionado.

Em terras estrangeiras a nossa maior aliada é a criatividade e a capacidade de nos reinventarmos  tantas vezes seja necessário. Se por acaso, você é uma Gabriela da vida : - Eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim . Então, não se aventure a viver em terras estranhas. Se não quiser sofrer.

Mude , aperfeiçoe- se , reinvente- se , desafie- se . Com esta postura até aquilo que der errado terá um doce sabor de vitória.

Namastê.

domingo, 28 de maio de 2017

Preguiça de você



Poderia ser titulo de musica sertaneja, tipo , "Saudade de você" , do fofinho do Zé Felipe , mas a minha alma anda com preguiça de gente. Não que eu não queira sociabilizar com as pessoas, sair, conversar e me divertir. Pelo contrário, sociabilizar é necessário e saudável.

O problema è que as pessoas tem problemas. Todo mundo tem problemas , e pior do que ter problemas é ter carências e necessidades que nem sempre estamos dispostos a suprir.

Talvez seja a minha autosuficiência , ou a minha necessidade de estar sozinha que me faz um pouco insensível em relação aos outros . A verdade è que eu ando com preguiça de gente.

Nunca começe um diàlogo comigo onde o assunto principal sejam problemas. Posso atè ouvir ,dar conselhos e ajudar de alguma forma, mas pode ter a certeza de que estarei com "preguiça de vocè".

Fale  sobre  um bom livro, um novo interesse , um sonho, um plano, filosofia, cultura, viagens,
natureza, uma pessoa que admira muito, me indique um bom filme, me ensine um novo hobby, me explique a quantas anda a economia global , me ensine algo, me faça rir. Enfim, seja interessante para que eu com o passar do tempo não sinta "preguiça de você".

Com certeza eu também não sou a pessoa mais interessante do mundo, mas procuro ter um certo cuidado para não despejar nos outros as minhas carências. Para dizer a verdade, nem sinto esta necessidade . Quando percebo que estou entrando em uma fase de desequilibrio eu faço yoga, ou começo a fazer planos concretos. Uma viagem, um hobby novo, ou se o tempo permitir , um curso qualquer on line. Ultimamente meu mais novo desafio pessoal tem sido aprender inglês.

Aqui no Japão começa a Primavera, uma estação muito agradável que nos prepara para a chegada do verão. Por sorte e obra do destino , me mudei novamente para a mesma cidade onde vivi por muitos anos onde não existem muitas opções de lazer, mas a praia é logo alí . Na minha opinião, não existe algo mais relaxante do que dar um passeio em bicicleta , caminhar na areia , observar o azul do céu se confundindo com o azul do mar e ser acariciado pelo sol da Primavera.

Até nestes  momentos prefiro estar sozinha, ou com alguém que curta tanto a natureza quanto eu e saiba conectar-se , intregar-se a aquele momento de conexão com aquilo de mais belo que temos , a natureza.

Enfim, aquilo que quero dizer com este post é que as pessoas perderam ( ou nunca tiveram) a capacidade de estarem invisivelmente conectadas com o outro, com a natureza e com o Universo. Os diálogos se tornaram verdadeiros monólogos , onde um não presta atenção no outro., e por consequência disto, a qualidade da  interação com o outro se torna cansativa, prejudicada e sem harmonia.

Dá preguiça. Preguiça de você!


terça-feira, 23 de maio de 2017

O brasileiro se destaca no exterior



Não sei qual é a imagem que nós brasileiros passamos em outros países, mas aqui em terras nipônicas  podemos notar claramente a diferença entre ser um cidadão brasileiro e um cidadão japonês.

Citarei apenas um detalhe: as residências onde vivem muitos brasileiros.

Observando os predios de apartamentos onde residem japoneses é muito dificil ver lixo jogado nos arredores dos prédios. Tudo é impecávelmente limpo e ordenado.

Agora, em predios onde residem em sua maioria brasileiros é possivel notar garrafas pets jogadas por todos os lados, bicicletas , utensílios domésticos e móveis velhos encostados em algum canto do edifício. Não são todos os brasileiros que são desleixados assim, eu por exemplo não jogo lixo na rua e nem fico enfeiando a área pública do prédio com pertences pessoais ou lixo. Já recolhi lixo alheio por várias vezes no meu prédio. Isto cansa , e irrita!

Em frente ao meu prédio existe um restaurante muito frequentado ,tanto de dia como de noite por japoneses. O estacionamento vive lotado. Seria normal ouvir pessoas conversando ou qualquer outro tipo de som vindo do estabelecimento. Pois é, não se ouve absolutamente nada. Em compensação , do meu apartamento posso ouvir os meus vizinhos brasileiros conversando em voz alta , não importando se é de dia ou tarde da noite.

Sabe- se que cerca de 40% dos japoneses preferem não ter um vizinho estrangeiro em terras nipônicas. As razões são várias, mas acredito que a principal causa seja a questão citada por mim acima. Barulho e desordem.

Se esta é a imagem que passamos aqui em terras nipônicas, imaginem a imagem que nós passamos para o mundo através de notícias na mídia internacional?

Barulho, desordem , corrupção e bagunça generalizada na política e economia brasileira.

E dá para ser respeitado como cidadão brasileiro em terras estrangeiras passando esta imagem para o mundo?

Se fosse apenas uma imagem , uma impressão esteriotipada do cidadão brasileiro seria até mais reconfortante para mim . Poderia levantar a bandeira brasileira e defender a nossa comunidade , mas nem sempre existem motivos reais para se levantar a bandeira brasileira com orgulho.





segunda-feira, 22 de maio de 2017

Fragmentos Capricornianos


"Talvez eu seja mais homem do que a todos os homens que você já conheceu" - de autoria de um certo Capricorniano.

Quando eu ouvi esta frase , fiquei muda. Sabe aquelas pessoas que são capazes de silenciar uma discussão , seja ela qual for, com apenas uma frase?

Assim são os Capricornianos , ou , somos. Eu também sou Capricorniana e confesso que a minha objetividade ao me expressar em certas ocasiões beira a grosseria e a soberba.

Não suportar pessoas fracas , lentas e superficiais é o meu grande problema nos relacionamentos. Até convivo com elas, por vezes as respeito ( deixo pra lá) , e vou levando o relacionamento com uma certa dose de superficialidade para não dizerem que sou chata demais.

Ah, a chatice! Esta não me deixa nunca!

Gostaria de poder ser mais flexivel , mais Sagitariana , e rir de tudo. Not is possible!

E a minha coragem e determinação ?Também gostaria de distribuir um pouco para alguns signos do zodiaco que padecem do mesmo.

Quem é assim, auto-suficiente e corajoso demais  é sempre esquecido pelos outros. Merecem atenção    aqueles mais débeis. Geralmente somos procurados apenas quando nos necessitam, o que torna os relacionamentos pouco empáticos.

Somos os amigos chatos que resolvem problemas chatos. No fundo até gostamos. Nos sentimos úteis.  

Dificil mesmo é saber quando somos apenas úteis e quando somos queridos de verdade.

Em relacionamentos saudáveis deve existir a troca. Hoje você me ouve, amanhã eu te ouço. Hoje eu te ajudo , amanhã você me ajuda. Não fosse assim, o universo dos relacionamentos  seria comparável a um pantano repleto de sanguessugas.

A minha fortaleza a levantei , pedra por pedra, para proteger-me do mundo . Nela não existem armas .



terça-feira, 16 de maio de 2017

Quem mandou não confiar nas estrelas!


Hoje pela manhã dei uma olhadinha rápida nos aspectos que se formavam em meu mapa , e  um aspecto novo ,  de curta duração , me chamou a atenção : Sol em quadratura com o meio do céu.

Há semanas estou com dois aspectos um tanto rigorosos porém positivos de mudanças benéficas no trabalho que poderia ser uma transferência , ou promoção. Como os dois aspectos são de longa duração , sempre dei mais credito a estes trânsitos, ignorando os trânsitos menores.

Nunca mais irei ignorar os trânsitos menores!

Assim como o novo aspecto que surgiu do "absoluto nada" , hoje ocorreu-me um fato extremamente desagradável no trabalho.  Logo que cheguei ao trabalho me disseram para eu perguntar aonde eu trabalharia. What a fuck?

O combinado era de eu me manter no mesmo local, mesmo horario até o fechamento do mês, e de repente sou surpreendida com esta novidade. O sangue ferveu ( minha lua em escorpião) .

Promovi um verdadeiro barraco escorpiano, e então, a confusão estava armada. Ou melhor dizer, piorada. Até alguns dias atrás estava tudo tranquilo, inclusive os meus ânimos, e de repente esta virada nos céus.

Então, eu me pergunto? Teria sido eu que provoquei esta quadratura com o meu temperamento inquieto e explosivo , ou fui impelida pelas estrelas?

E se eu tivesse me mantido calma e  calada, posto que, eu já sabia da tendência do dia? Teria sido diferente?

É nestas horas que eu me pergunto qual é o papel do nosso livre-arbítio?

Na dúvida, da proxima vez , não vou nem sair de casa quando uma quadratura estiver em 0 grau.


segunda-feira, 8 de maio de 2017

Gosto não se discute



Você gosta da cor azul? Eu gosto do amarelo! Você torce para o Corinthians? Eu não curto futebol. Você segue uma religião? Eu me considero ecumênica. Gosto não se discute e ponto!

A minha preferência por homens europeus já me renderam muitas críticas , do tipo: - Nossa! Como você é metida. Já me chamaram até de racista, simplesmente pelo fato de me sentir atraida por homens europeus, tanto no aspecto fisico como na mentalidade.

Os europeus em geral são mais timidos no primeiro contato, pouco invasivos e muito cavalheiros. Nos relacionamentos á dois costumam ser independentes . Cada um tem seus compromissos . O fato de serem compromissados  não os impedem de sair com os amigos . A vida de um casal europeu não se resume apenas a vida à dois.

Homens europeus em geral são mais presentes como pais. Levam os filhos para a escola, empurram o carrinho do bebê, participam de reuniões escolares, trocam fraudas, cozinham. Pois e, quase todos os homens europeus sabem cozinhar e muitos deles são experts em gastronomia . Cozinham pelo prazer de criar pratos com a sua marca. Muitos apreciam a degustação de bons vinhos e são ótimos sommeliers por natureza.

A cultura. Este é outro detalhe muito interessante. Eles amam a propria cultura e a conhecem muito bem. Em geral são muito cultos e falam mais de uma lingua. A exemplo dos suiços que falam em media três linguas , ou dos holandeses que possuem uma habilidade impressionante de aprender novas linguas em um curto espaço de tempo .

Talvez esta tendência seja pelo fato dos europeus viajarem de férias ao menos uma vez por ano para outros países europeus. Está aí outro costume europeu que me agrada muito: viajar.

Hobbys europeus. Eles esquiam no inverno, velejam , voam no verão , saem em grupos com suas motos ou motorhomes . Mesmo aqueles que não são ricos viajam todo o ano ou praticam algum esporte ao ar livre.

Até mesmo a frieza de algumas nacionalidades europeias me encanta. Para nós brasileiros pode ser um pouco impactante no começo, mas no convivio compreendemos que é apenas a forma de se comportar socialmente. É cultural e sazonal.

Defeitos? Sim, eles as tem. Não são perfeitos ,  assim  como a todos nós seres mortais .

Eu gosto . E dai?


Astrologia não é adivinhação



Aquilo que muitas pessoas conhecem sobre a Astrologia  deriva da prática de previsões genéricas dos signos . Como os editais de horóscopos de revistas e jornais.

O verdadeiro poder da astrologia está na analise de mapas natais individuais que nos ajudam a compreender o nosso "ser" e as tendências que nos marcam a vida à partir de nosso nascimento. Não existe adivinhação na análise de um mapa natal. O astrólogo quando bem formado, irá apenas analisar e interpretar os aspectos de cada mapa através de estudos . Para quem não sabe , a formação de um astrólogo leva cerca de 3 anos em cursos presenciais certificados  pela ABA ( Associação Brasileira de Astrologia) .

Nenhum astrólogo que seja sério terá em sua mesa de atendimento uma bola de cristal. Se tiver, fuja!
Obviamente que existem astrólogos que são sensitivos , ou videntes , que antes mesmo de se formarem astrólogos já possuiam esta habilidade nata.

A maioria das pessoas que me questionaram sobre a astrologia se resumiam em pessoas com sede de saber o quê o futuro lhes reservava. Nenhuma pessoa, absolutamente nenhuma pessoa, demonstrou algum interesse em saber sobre si mesmas. Tais pessoas devem se conhecer muito bem, ao ponto de se desinteressarem por este assunto tão importante ao começar uma analise astrológica : elas mesmas.

Percebe-se o quanto as pessoas são imediatistas?

Elas querem saber do futuro, do parceiro que está por vir, do novo emprego que está por ser oferecido, da sorte ou azar na loteria. Esquecem-se de que a vida não é uma loteria.

A astrologia nos ajuda a compreender quais são as tendências de nossa vida à partir das reações de nosso próprio caráter. Ou seja, um belo e perfeito parceiro amoroso pode estar a vir ao nosso encontro, mas o desenrolar da relação dependerá de nossas atitudes . Ou a sorte pode bater a nossa porta e nos oferecer um bom emprego com um salário acima do mercado, mas a capacidade de mante-lo dependerá apenas de nossa capacitação . É o nosso livre-arbítrio trabalhando em conjunto com as tendências que pintam os astros.

Percebem o quanto é importante se conhecer bem para só então saber o quê o futuro nos reserva de bom ou ruim?

Já vi mapas de pessoas que teriam tudo para se realizarem na vida , mas um aspecto do caráter delas as sabotavam o tempo todo.  Neste caso era a incapacidade da pessoa em tomar decisões rápidas  e lógicas. A pessoa é uma amiga minha do signo de Peixes. Até hoje, aos seus 48 anos , ela segue caminhando na contra-mão de seu mapa natal por não conseguir identificar e transformar os vicios  da sua própria personalidade .

Se você quer respostas imediatas procure um cigano . Se você quer se conhecer melhor e está disposto a encarar a si mesmo e promover mudanças , procure um astrólogo.



domingo, 7 de maio de 2017

Criando estimulos



Neste inicio deste ano eu me propus uma meta: a de aprender inglês em menos de três anos e atingir ao menos o nível intermediário de conversação. No entanto, para tal tarefa é preciso ter muita disciplina quando nos dispomos a aprender uma nova lingua de forma autodidata. Infelizmente , disciplina é uma coisa que eu não tenho, apesar de ser uma pessoa bem determinada em tudo aquilo que me proponho a realizar.

Livros de gramática e muitas horas de estudo não funcionam comigo. Creio que o meu problema seja com as rotinas. Manter uma rotina de estudo é muito chato.

Para resolver o meu problema de "chatice" , me inscrevi em vårios sites onde as pessoas se comuniquem em inglês. É o caso do Wayn e do Tandem. Me inscrevi nestes sites apenas para ter mais contato com a lingua inglesa e pratica-la ao menos na escrita.

Tenho recebido várias mensagens de pessoas que pretendem viajar para o Japão , e algumas mensagens de pessoas que estão procurando um relacionamento também.

Procuro responder à todas as mensagens , e tenho percebido que já não preciso mais do google tradutor para entender o conteúdo da mensagem de forma geral. Claro que algumas palavras ou frases ainda não fazem sentido para mim, mas em geral já compreendo bem.

O problema está em responder . Nestas horas eu conto com a ajuda do google tradutor , que é muito eficiente quando escrevemos frase por frase em português correto. Depois é só corrigir o texto que frequentemente tem erros de conjugação.

A melhor maneira de memorizar novas palavras em outras linguas não é usando o google tradutor, que facilita mas não é o mais indicado. O melhor mesmo é usar o velho e bom dicionário e pesquisar a palavra , seu uso e seus significados.

Com tantos e-mails para responder em inglês , acabo me sentindo na obrigação de melhorar o meu compreendimento da lingua . Naturalmente , ao ler e responder e-mails que chegam de toda parte do mundo vou avançando na prática e criando novos estimulos.

Tem muita gente interessante por este mundão à fora que pode nos ensinar , nos mostrar uma nova cultura , novas verdades , novas realidades . Tudo que é novo é um grande estimulo.

E lá vamos nós para o desafio de derrubar mais uma barreira linguística.



sábado, 6 de maio de 2017

DNA histórico



Compreender a mentalidade de toda uma nação se torna simples quando conhecemos um pouco da sua história pregressa.

Em contato com alguns italianos pude notar um número expressivo de geómetras em toda a Itália. Em contra-partida nunca conheci nenhum geómetra em São Paulo. Em São Paulo aquilo que se nota com frequência são as profissões da moda. Houve  um tempo que era moda trabalhar com propaganda  e marketing, hoje as profissões mais procuradas e bem remuneradas creio que sejam aquelas ligadas a informática , como os analistas de sistemas. Não existe uma tendência histórica em relação aos antepassados brasileiros em função da miscigenação de raças. Creio , eu. 

Voltando aos italianos. Assistindo a um documentário sobre a construção da Roma antiga pude compreender de onde vem este DNA de geómetras italianos.

Fundada em 753 a.C , Roma foi engenhosamente estruturada com estradas que se expandiam em direção a vários territórios europeus. As tecnicas utilizadas pelos engenheiros da época tinham origens etruscas que foram aperfeiçoadas e adaptadas para a expansão daquilo que conhecemos historicamente como "O Império Romano".

Deu para sacar de onde vem esta tendência profissional italiana de geómetras e a mania dos italianos de se acharem os melhores do mundo?

Passam-se anos , séculos, e o nosso DNA histórico permanece intacto , manifestando-se em alguma área de nossa vidas.

Conhecer a nossa história  , os nossos antepassados , nos faz mais conhecedores de nós mesmos . Além de nos ilustrar culturalmente e nos abrir a mente para uma visão mais ampla e sociológica do mundo que nos cerca.


quinta-feira, 4 de maio de 2017

Há momentos...


Há momentos na vida que não exigem nenhuma ação, que o deixar-se levar pela maré é a melhor opção.

Não acredito que sejamos capazes de estar sempre no contrôle de nossas vidas. Hà momentos que fogem ao nosso contrôle, para o bem ou para o mal.

Como eu sempre digo, e continuo afirmando: - Querer nem sempre é poder".  Sei que é uma afirmação um tanto o quanto pessimista, mas como sou uma vera e pragmática Capricorniana, vamos dizer que é apenas um excesso de realismo.

Nadar contra a maré, andar no contra-fluxo , são atitudes que sempre tomei para desafiar a mim mesma . Eu posso! Este era o meu lema.  Hoje , o meu lema é: Eu posso, mas não quero.

Muito mais conhecedora dos próprios limites, me atenho ao "hoje" , e reservo para o amanhã aquilo que de alguma forma desestabilizaria o meu hoje.  Sei que eu posso, mas não hoje.

Parece até uma forma de procrastinação consciente, e é.

Desejamos tantas coisas que acabamos por não enxergar que nem tudo aquilo que desejamos é cabível em nossas vidas. É como plantar tulipas no verão esperando que elas floresçam.

Tudo tem o seu tempo certo de acontecer. Apressar os acontecimentos pode gerar um efeito contrário daquilo que havíamos idealizado, ou planejado.

Sem pressa. Sem falsas expectativas . No curso da vida.

Namastê.

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Minhas lojas preferidas in japan


Aqui em terras nipônicas , vestir-se bem é algo acessível para todas as classes. Veste-se mal quem quer.
Algumas lojas como H&M , Zara, Gap , e Forever 21 são as preferidas dos brasileiros que vivem por aqui. Inclusive eu. Ainda não encontrei uma Loja da Forever 21 por aqui onde moro, mas ouvi dizer que são super em conta.

Sai apenas para almoçar com uma amiga , mas resistir aos preços da H&M e as promoções da Uniqlo ( loja de roupas básicas japonesa) é quase impossivel.

Camisa em seda M/L H&M por 55,00 reais 
Cardigã M/L H&M por 22,00 reais
T shirts malha canelada H&M por 19,00 reais 
Óculos de sol H&M por 55,00 reais


Regatas Uniqlo por 13,00 reais cada 



segunda-feira, 1 de maio de 2017

Astrologia & autoconhecimento


   Gisele Bundchen - a nossa uber  model  estudava seu mapa natal antes de se tornar famosa. 



Se você quer saber como será o seu futuro, observe o seu presente. Se você quer se conhecer melhor , faça um mapa Natal. 

Algumas pessoas me pedem para ver o futuro delas como se eu tivesse uma bola de cristal, ou analisar aspectos astrológicos e seus efeitos em suas vidas , mas se esquecem que o melhor "conhecedor" de suas vidas são elas mesmas. 

A astrologia é eficaz , quanto a isto não tenho dúvidas. Porém, a sua eficiência é apenas a de desenhar o mapa de nossas vidas em preto e branco . Colorir os caminhos desenhados neste mapa depende apenas de nós , através do autoconhecimento . 

Compreender e aceitar nossos limites é um ponto bem interessante a ser estudado para dissolver expectativas irreais . Assim como , reconhecer e utilizar nossas virtudes e dons pessoais a nosso favor. 

Quando eu digo para algumas pessoas que seus mapas natais são ótimos  , logo me questionam : - E aonde está esta sorte que nunca provei?

Minha gente! Nem todo mundo nasce com o bumbum virado para a Lua. Nem todo mundo nasce com uma estrela na testa como Gisele Bundchen. Nem todo mundo nasce com uma missão a cumprir na vida como uma Madre Tereza de Calcutá. Nem todo mundo desgraçadamente nasce em ambientes abaixo do nível da pobreza como algumas crianças africanas. 

Um mapa bom , no meu conceito, é aquele que não apresenta muitos altos e baixos psicológicos , nem provações cármicas , do tipo , acidentes ou doenças, que alterem todo o curso normal de uma vida. 

A maioria das pessoas criam expectativas irreais em relação a propria existência e acabam ansiosas e frustradas. Todo mundo quer ser feliz e realizado no amor e no financeiro. Eu também quero. 

E qual é o segredo para conquistar tais anseios? 

Não existe uma formula padronizada para vivenciar a felicidade e a realização material. Aquilo que funciona para alguns pode não funcionar para outros. 

Apenas o autoconhecimento irá nos esclarecer onde estão os nossos bloqueios e os nossos limites a serem vencidos,  para só assim criarmos a nossa exclusiva fórmula da felicidade . 

Em alguns casos, a felicidade está na aceitação  de que nem tudo na vida é como desejariamos que ela fosse, derrubando expectativas irreais. Em outros casos , a descoberta de nossos potenciais ocultos podem ser a porta de entrada para uma vida mais plena e satisfatória. 

A vida e seus percursos é como uma empresa que exige um administrador preparado e conhecedor de seu proprio negócio. Não há como progredir se não conhecemos o nosso ramo de atuação : nós mesmos. 

Namastê!

O olhar Capricorniano


             David Bowie também era um misteriosíssimo Capricorniano de olhar duro. 



Não há como não reconhecer um tipo Capricorniano até mesmo em fotos. A expressão do olhar é sempre muito marcante, a não ser que algum ascendente ou a Lua tenha maior expressividade.

Apesar de ser Capricorniana e ter algumas reservas em relação a homens Capricornianos ( são frios e autoritários) , eu devo confessar que eles me atraem .

Analisando algumas fotos de possiveis matches em um site de relacionamentos , o meu olhar se concentrou em duas figuras com um ar sério, quase carrancudo , que até me intimidou um pouco. Tive um pouco de receio em clicar nas fotos e abrir o perfil ,mas como a curiosidade é sempre mais forte , lá fui eu fuçar os perfis.

Não deu em outra! Dois Capricornianos!

Dizem que a primeira impressão é a que fica. Se assim for, estes dois Capricornianos são de meter medo. O olhar é duro demais, minha gente! E se os olhos são verdadeiramente as janelas da alma, pode contar com muita inflexibilidade , frieza e uma pitadinha de autoritarismo. Pelo menos é esta impressão que os dois perfis Capricornianos me passaram a primeira vista.

Mesmo com toda esta "má impressão" , não resisti e mandei um wink para um deles ( aquele que me pareceu menos aterrorizante) . Claro que deu match! Dois Capricornianos quando se cruzam sempre se identificam de alguma maneira. Da minha parte, apesar do temor , eu admiro todos, absolutamente todos os Capricornianos que conheci em minha vida, sem exceção.  São homens decididos, perseverantes, trabalhadores , estrategistas , muito responsáveis e inteligentes. O unico problema é mesmo a frieza e a inflexibilidade.

Mas cá entre nós! Aquilo que mais me atrai  nestas figuras é o desafio de quebrar um pedaçinho deste iceberg.

O homem Capricorniano sempre será um misterio a ser desvendado e um desafio a ser vencido. Conquistar o coração de um Capricorniano requer de muita astúcia, inteligência , sedução e paciência.

Se eles valem tanto sacrificio e dedicação ,  eu não sei . Mas que o desafio é tentador, isto é!


quinta-feira, 27 de abril de 2017

Vida em comunidade



Não sei se a vida em comunidade de estrangeiros é igual no mundo todo, mas aqui em terras nipônicas , os brasileiros se relacionam apenas com brasileiros , salvo algumas exceções. Existe a barreira da língua , em primeiro lugar, e os costumes de cada cultura que dificultam uma maior aproximação.

Talvez o fato da cultura asiática ser totalmente diferente de todo o resto do mundo crie uma barreira para uma aproximação e interesse maior por parte dos brasileiros que vivem aqui em terras nipônicas.  Esta é uma das explicações , mas também pode ser pelo fato do brasileiro não ter nenhum interesse em vivenciar e aprender com novas culturas. A exemplo disto , é o fato da maioria dos brasileiros nem imaginarem  como é a cultura e a economia de países vizinhos da América do Sul. Não vamos generalizar, mas a grande maioria tem esteriótipos e pouco conhecimento. Eu também me incluo.

Eu nunca imaginei que o Panamá fosse um país com boa qualidade de vida , por exemplo, até ouvir comentários de brasileiros que conheceram o país. Aliás, eu tive que olhar no google maps para saber  onde se localizava o país. Ignorância geográfica.

Voltando aos brasileiros que vivem aqui no Japão, é compreensivel que se formem comunidades de iguais, mas aquilo que eu não consigo aceitar é o fato do brasileiro não ter o minimo interesse em ampliar seus horizontes e cultura através desta "oportunidade" de viver em terras nipônicas.

A cultura japonesa é riquissima , e muitos estrangeiros viajam ao Japão atraídos excepcionalmente pela cultura local, enquanto nós brasileiros, temos a oportunidade de viajar à trabalho por tantas cidades japonesas e nos fechamos dentro de comunidades locais de brasileiros sem interagir com nativos japoneses e seus costumes locais.

Outro fato que me incomoda muito nas comunidades de brasileiros em terras nipônicas é a falta de interesse por assuntos locais , como a econômia japonesa, que aliás, reflete diretamente na indústria , setor onde a maioria dos brasileiros atuam. Também percebo um desinteresse total por notícias sobre a economia brasileira. Desde que eu voltei do Brasil, hà pouco mais de um mês, as únicas  pessoas que me perguntaram sobre a situação atual do nosso país, foi uma amiga que vive nos Estados Unidos e outra que vive na Inglaterra.

Eu me pergunto: Onde está o interesse e o foco dessas pessoas que não se interessam nem pelo país onde vivem, e nem pelo país de onde vieram?

Viver em comunidade é algo que nos traz conforto sim, mas fechar-se para o mundo não é uma boa opção quando vivemos como estrangeiros. A vida se torna totalmente estagnada , limitada e sem direção.

" O mundo é do tamanho das linguas que conhecemos " . Uma boa opção ( fundamental) para quem vive no estrangeiro é aumentar o conhecimento da lingua e da cultura local. Aprender outras linguas também é interessante , como o inglês. É a partir de uma nova lingua que adquirimos novos conhecimentos e novos horizontes.

De que tamanho é o seu mundo?


quinta-feira, 20 de abril de 2017

A pegada brasileira



Outro dia eu estava tentando convencer a uma amiga de trabalho brasileira , que está encalhada, a procurar em sites de relacionamentos homens estrangeiros. Eu mesma já conheci uns 4 pessoalmente.
Ela me falou da dificuldade em se comunicar em outra lingua , o que gera muitos mal entendidos e dá muito trabalho para estar usando o google tradutor a todo momento. Mesmo assim continuei insistindo porque aqui no Japão está cada vez mais raro encontrar brasileiros solteiros , sem filhos , com algum projeto de vida a dois em mente e que queiram um relacionamento serio.

A minha amiga titubeou e disse: - Mas brasileiro tem pegada.

Por um segundo fiquei muda. Não tinha nenhum argumento à favor dos estrangeiros que eu havia conhecido no passado. Alguns italianos e um suiço.

Os italianos são muito romanticos e passionais, mas nem todos tem aquela "pegada" . Pelo menos os que eu conheci eram até bem respeitosos e cavalheiros. Apaixonantes, sem dúvida alguma, mas não dà para fazer comparações com os homens brasileiros.

O único suiço que conheci e com quem mantive um  relacionamento de dois anos, entre idas e vindas do Japão para a Suiça , e com quem quase me casei, também não sabia o que era uma "pegada". Os suiços são bem mais contidos. Não quero generalizar mas o meu ex-suiço era um homem sério, profissionalmente competente em sua àrea de atuação ( consultor alimentício ) , ótimo cozinheiro ( ex-chef de cozinha ) , organizadíssimo, e um ótimo administrador de suas finanças. Porém, ele era um "iceberg" ambulante, além de neurótico.

Meus últimos relacionamentos com brasileiros foram em terras tupiniquins hà anos atrás e devo admitir que "a pegada" brasileira faz a diferença. Mas como nem tudo na vida é só isso, e para se viver um relacionamento à dois pleno , com projetos para o futuro   é preciso existir a confiança no outro. No quesito confiabilidade os europeus ganham disparado, na minha humilde opinião.

Talvez seja uma questão simplesmente cultural. Europeus em geral são mais objetivos quando se interessam por alguém de verdade, enquanto o brasileiro vai "ficando" até ter certeza do que quer.

Diferenças à parte, com pegada ou sem pegada . Atualmente aquilo que me preencheria em uma relação é a confiabilidade e a cumplicidade.

Sem estes dois quesitos ainda fica valendo aquele velho ditado: "Antes só do que mal acompanhada".


quarta-feira, 19 de abril de 2017

E a vida passa...





Abril de 2017. Como o tempo passou rápido!

Nem sei mais dizer a quantos anos atrás mudei a minha vida radicalmente, quando decidi vir provar os meus limites sozinha em terras nipônicas. Talvez 13 ou 14 anos atrás.

Muita coisa aconteceu durante este periodo de quase 15 anos , e se eu fosse contar os detalhes, teria que escrever um livro.

Decididamente , eu não sou mais a mesma pessoa . Aliàs, a cada ano eu me transformo, não somente no aspecto fisico com o passar do tempo. Uma ruguinha aqui, uma flacidez alí, alguns fios de cabelos brancos , e assim vai. A minha maior mudança tem sido na minha personalidade, o modo como eu reajo ao mundo. Como eu sempre digo e afirmo, a nossa essência é sempre a mesma, mas com o tempo aprendemos a lidar com os aspectos negativos e a valorizar os pontos positivos .

De toda esta mudança , aquilo que realmente faz a diferença neste processo é o fato de ter me conhecido melhor. Hoje posso ser eu mesma , sem ter que querer agradar a ninguém , e nem seguir os ditados de uma educação limitante e antiquada que recebi de meus pais. Tambèm não os culpo mais por nenhuma falta . Assim como não me culpo mais por nenhuma falta que eu tenha feito na criação e educação de minha unica filha. Quanta culpa eu sentia por não ser perfeita.

Os meus relacionamentos em geral também mudaram bastante. Estou muito mais seletiva e aprendi a não aceitar mais qualquer  coisa apenas para suprir necessidades afetivas. Também não me importo mais com probleminhas do dia-a-dia . Se não deu para resolver hoje, não guardo o estresse para o amanhã. Aprendi a controlar a minha ansiedade. Cada coisa a seu  tempo.

A vida fica muito mais facil e menos estressante quando não guardamos problemas dentro de nós. Resolve-se hoje ou não se pensa na questão. Simples assim. A vida se apresenta muito mais organizada , mesmo em tempos difíceis, e a nossa mente agradece.

A unica coisa que ainda não consegui mudar são os meus sonhos para o futuro. Sempre tem uma idèia  meio fora do comum borbulhando na cabeça. Creio que este seja o meu combustível, os meus sonhos.

Sonhos para mim são projetos de vida , sem essa de ficar sonhado acordado sem nem ao menos mentalizar e direcionar a vida ( aos poucos, sou capricorniana) para a concretização de nossos sonhos.

E é isso. Hoje acordei pensativa. Pensando no quanto eu amadureci com as minhas experiências . E concluo   que, viver é se desafiar todos os dias. É testar  os nossos limites, apesar da preguiça, que vai tomando conta do nosso corpo. Eu ando bem preguiçosa, mas nunca desanimada.

Como eu disse , tem sempre uma idéia nova borbulhando e isto é o que me impulsiona na vida, mesmo que eu tente...tente...e não consiga concretiza-lo . O que vale mesmo é o esforço de tentar . Muitas vezes o processo é muito mais rico do que a finalização de algum projeto.

Namastê!