segunda-feira, 22 de maio de 2017

Fragmentos Capricornianos


"Talvez eu seja mais homem do que a todos os homens que você já conheceu" - de autoria de um certo Capricorniano.

Quando eu ouvi esta frase , fiquei muda. Sabe aquelas pessoas que são capazes de silenciar uma discussão , seja ela qual for, com apenas uma frase?

Assim são os Capricornianos , ou , somos. Eu também sou Capricorniana e confesso que a minha objetividade ao me expressar em certas ocasiões beira a grosseria e a soberba.

Não suportar pessoas fracas , lentas e superficiais é o meu grande problema nos relacionamentos. Até convivo com elas, por vezes as respeito ( deixo pra lá) , e vou levando o relacionamento com uma certa dose de superficialidade para não dizerem que sou chata demais.

Ah, a chatice! Esta não me deixa nunca!

Gostaria de poder ser mais flexivel , mais Sagitariana , e rir de tudo. Not is possible!

E a minha coragem e determinação ?Também gostaria de distribuir um pouco para alguns signos do zodiaco que padecem do mesmo.

Quem é assim, auto-suficiente e corajoso demais  é sempre esquecido pelos outros. Merecem atenção    aqueles mais débeis. Geralmente somos procurados apenas quando nos necessitam, o que torna os relacionamentos pouco empáticos.

Somos os amigos chatos que resolvem problemas chatos. No fundo até gostamos. Nos sentimos úteis.  

Dificil mesmo é saber quando somos apenas úteis e quando somos queridos de verdade.

Em relacionamentos saudáveis deve existir a troca. Hoje você me ouve, amanhã eu te ouço. Hoje eu te ajudo , amanhã você me ajuda. Não fosse assim, o universo dos relacionamentos  seria comparável a um pantano repleto de sanguessugas.

A minha fortaleza a levantei , pedra por pedra, para proteger-me do mundo . Nela não existem armas .



terça-feira, 16 de maio de 2017

Quem mandou não confiar nas estrelas!


Hoje pela manhã dei uma olhadinha rápida nos aspectos que se formavam em meu mapa , e  um aspecto novo ,  de curta duração , me chamou a atenção : Sol em quadratura com o meio do céu.

Há semanas estou com dois aspectos um tanto rigorosos porém positivos de mudanças benéficas no trabalho que poderia ser uma transferência , ou promoção. Como os dois aspectos são de longa duração , sempre dei mais credito a estes trânsitos, ignorando os trânsitos menores.

Nunca mais irei ignorar os trânsitos menores!

Assim como o novo aspecto que surgiu do "absoluto nada" , hoje ocorreu-me um fato extremamente desagradável no trabalho.  Logo que cheguei ao trabalho me disseram para eu perguntar aonde eu trabalharia. What a fuck?

O combinado era de eu me manter no mesmo local, mesmo horario até o fechamento do mês, e de repente sou surpreendida com esta novidade. O sangue ferveu ( minha lua em escorpião) .

Promovi um verdadeiro barraco escorpiano, e então, a confusão estava armada. Ou melhor dizer, piorada. Até alguns dias atrás estava tudo tranquilo, inclusive os meus ânimos, e de repente esta virada nos céus.

Então, eu me pergunto? Teria sido eu que provoquei esta quadratura com o meu temperamento inquieto e explosivo , ou fui impelida pelas estrelas?

E se eu tivesse me mantido calma e  calada, posto que, eu já sabia da tendência do dia? Teria sido diferente?

É nestas horas que eu me pergunto qual é o papel do nosso livre-arbítio?

Na dúvida, da proxima vez , não vou nem sair de casa quando uma quadratura estiver em 0 grau.


segunda-feira, 8 de maio de 2017

Gosto não se discute



Você gosta da cor azul? Eu gosto do amarelo! Você torce para o Corinthians? Eu não curto futebol. Você segue uma religião? Eu me considero ecumênica. Gosto não se discute e ponto!

A minha preferência por homens europeus já me renderam muitas críticas , do tipo: - Nossa! Como você é metida. Já me chamaram até de racista, simplesmente pelo fato de me sentir atraida por homens europeus, tanto no aspecto fisico como na mentalidade.

Os europeus em geral são mais timidos no primeiro contato, pouco invasivos e muito cavalheiros. Nos relacionamentos á dois costumam ser independentes . Cada um tem seus compromissos . O fato de serem compromissados  não os impedem de sair com os amigos . A vida de um casal europeu não se resume apenas a vida à dois.

Homens europeus em geral são mais presentes como pais. Levam os filhos para a escola, empurram o carrinho do bebê, participam de reuniões escolares, trocam fraudas, cozinham. Pois e, quase todos os homens europeus sabem cozinhar e muitos deles são experts em gastronomia . Cozinham pelo prazer de criar pratos com a sua marca. Muitos apreciam a degustação de bons vinhos e são ótimos sommeliers por natureza.

A cultura. Este é outro detalhe muito interessante. Eles amam a propria cultura e a conhecem muito bem. Em geral são muito cultos e falam mais de uma lingua. A exemplo dos suiços que falam em media três linguas , ou dos holandeses que possuem uma habilidade impressionante de aprender novas linguas em um curto espaço de tempo .

Talvez esta tendência seja pelo fato dos europeus viajarem de férias ao menos uma vez por ano para outros países europeus. Está aí outro costume europeu que me agrada muito: viajar.

Hobbys europeus. Eles esquiam no inverno, velejam , voam no verão , saem em grupos com suas motos ou motorhomes . Mesmo aqueles que não são ricos viajam todo o ano ou praticam algum esporte ao ar livre.

Até mesmo a frieza de algumas nacionalidades europeias me encanta. Para nós brasileiros pode ser um pouco impactante no começo, mas no convivio compreendemos que é apenas a forma de se comportar socialmente. É cultural e sazonal.

Defeitos? Sim, eles as tem. Não são perfeitos ,  assim  como a todos nós seres mortais .

Eu gosto . E dai?


Astrologia não é adivinhação



Aquilo que muitas pessoas conhecem sobre a Astrologia  deriva da prática de previsões genéricas dos signos . Como os editais de horóscopos de revistas e jornais.

O verdadeiro poder da astrologia está na analise de mapas natais individuais que nos ajudam a compreender o nosso "ser" e as tendências que nos marcam a vida à partir de nosso nascimento. Não existe adivinhação na análise de um mapa natal. O astrólogo quando bem formado, irá apenas analisar e interpretar os aspectos de cada mapa através de estudos . Para quem não sabe , a formação de um astrólogo leva cerca de 3 anos em cursos presenciais certificados  pela ABA ( Associação Brasileira de Astrologia) .

Nenhum astrólogo que seja sério terá em sua mesa de atendimento uma bola de cristal. Se tiver, fuja!
Obviamente que existem astrólogos que são sensitivos , ou videntes , que antes mesmo de se formarem astrólogos já possuiam esta habilidade nata.

A maioria das pessoas que me questionaram sobre a astrologia se resumiam em pessoas com sede de saber o quê o futuro lhes reservava. Nenhuma pessoa, absolutamente nenhuma pessoa, demonstrou algum interesse em saber sobre si mesmas. Tais pessoas devem se conhecer muito bem, ao ponto de se desinteressarem por este assunto tão importante ao começar uma analise astrológica : elas mesmas.

Percebe-se o quanto as pessoas são imediatistas?

Elas querem saber do futuro, do parceiro que está por vir, do novo emprego que está por ser oferecido, da sorte ou azar na loteria. Esquecem-se de que a vida não é uma loteria.

A astrologia nos ajuda a compreender quais são as tendências de nossa vida à partir das reações de nosso próprio caráter. Ou seja, um belo e perfeito parceiro amoroso pode estar a vir ao nosso encontro, mas o desenrolar da relação dependerá de nossas atitudes . Ou a sorte pode bater a nossa porta e nos oferecer um bom emprego com um salário acima do mercado, mas a capacidade de mante-lo dependerá apenas de nossa capacitação . É o nosso livre-arbítrio trabalhando em conjunto com as tendências que pintam os astros.

Percebem o quanto é importante se conhecer bem para só então saber o quê o futuro nos reserva de bom ou ruim?

Já vi mapas de pessoas que teriam tudo para se realizarem na vida , mas um aspecto do caráter delas as sabotavam o tempo todo.  Neste caso era a incapacidade da pessoa em tomar decisões rápidas  e lógicas. A pessoa é uma amiga minha do signo de Peixes. Até hoje, aos seus 48 anos , ela segue caminhando na contra-mão de seu mapa natal por não conseguir identificar e transformar os vicios  da sua própria personalidade .

Se você quer respostas imediatas procure um cigano . Se você quer se conhecer melhor e está disposto a encarar a si mesmo e promover mudanças , procure um astrólogo.



domingo, 7 de maio de 2017

Criando estimulos



Neste inicio deste ano eu me propus uma meta: a de aprender inglês em menos de três anos e atingir ao menos o nível intermediário de conversação. No entanto, para tal tarefa é preciso ter muita disciplina quando nos dispomos a aprender uma nova lingua de forma autodidata. Infelizmente , disciplina é uma coisa que eu não tenho, apesar de ser uma pessoa bem determinada em tudo aquilo que me proponho a realizar.

Livros de gramática e muitas horas de estudo não funcionam comigo. Creio que o meu problema seja com as rotinas. Manter uma rotina de estudo é muito chato.

Para resolver o meu problema de "chatice" , me inscrevi em vårios sites onde as pessoas se comuniquem em inglês. É o caso do Wayn e do Tandem. Me inscrevi nestes sites apenas para ter mais contato com a lingua inglesa e pratica-la ao menos na escrita.

Tenho recebido várias mensagens de pessoas que pretendem viajar para o Japão , e algumas mensagens de pessoas que estão procurando um relacionamento também.

Procuro responder à todas as mensagens , e tenho percebido que já não preciso mais do google tradutor para entender o conteúdo da mensagem de forma geral. Claro que algumas palavras ou frases ainda não fazem sentido para mim, mas em geral já compreendo bem.

O problema está em responder . Nestas horas eu conto com a ajuda do google tradutor , que é muito eficiente quando escrevemos frase por frase em português correto. Depois é só corrigir o texto que frequentemente tem erros de conjugação.

A melhor maneira de memorizar novas palavras em outras linguas não é usando o google tradutor, que facilita mas não é o mais indicado. O melhor mesmo é usar o velho e bom dicionário e pesquisar a palavra , seu uso e seus significados.

Com tantos e-mails para responder em inglês , acabo me sentindo na obrigação de melhorar o meu compreendimento da lingua . Naturalmente , ao ler e responder e-mails que chegam de toda parte do mundo vou avançando na prática e criando novos estimulos.

Tem muita gente interessante por este mundão à fora que pode nos ensinar , nos mostrar uma nova cultura , novas verdades , novas realidades . Tudo que é novo é um grande estimulo.

E lá vamos nós para o desafio de derrubar mais uma barreira linguística.



sábado, 6 de maio de 2017

DNA histórico



Compreender a mentalidade de toda uma nação se torna simples quando conhecemos um pouco da sua história pregressa.

Em contato com alguns italianos pude notar um número expressivo de geómetras em toda a Itália. Em contra-partida nunca conheci nenhum geómetra em São Paulo. Em São Paulo aquilo que se nota com frequência são as profissões da moda. Houve  um tempo que era moda trabalhar com propaganda  e marketing, hoje as profissões mais procuradas e bem remuneradas creio que sejam aquelas ligadas a informática , como os analistas de sistemas. Não existe uma tendência histórica em relação aos antepassados brasileiros em função da miscigenação de raças. Creio , eu. 

Voltando aos italianos. Assistindo a um documentário sobre a construção da Roma antiga pude compreender de onde vem este DNA de geómetras italianos.

Fundada em 753 a.C , Roma foi engenhosamente estruturada com estradas que se expandiam em direção a vários territórios europeus. As tecnicas utilizadas pelos engenheiros da época tinham origens etruscas que foram aperfeiçoadas e adaptadas para a expansão daquilo que conhecemos historicamente como "O Império Romano".

Deu para sacar de onde vem esta tendência profissional italiana de geómetras e a mania dos italianos de se acharem os melhores do mundo?

Passam-se anos , séculos, e o nosso DNA histórico permanece intacto , manifestando-se em alguma área de nossa vidas.

Conhecer a nossa história  , os nossos antepassados , nos faz mais conhecedores de nós mesmos . Além de nos ilustrar culturalmente e nos abrir a mente para uma visão mais ampla e sociológica do mundo que nos cerca.


quinta-feira, 4 de maio de 2017

Há momentos...


Há momentos na vida que não exigem nenhuma ação, que o deixar-se levar pela maré é a melhor opção.

Não acredito que sejamos capazes de estar sempre no contrôle de nossas vidas. Hà momentos que fogem ao nosso contrôle, para o bem ou para o mal.

Como eu sempre digo, e continuo afirmando: - Querer nem sempre é poder".  Sei que é uma afirmação um tanto o quanto pessimista, mas como sou uma vera e pragmática Capricorniana, vamos dizer que é apenas um excesso de realismo.

Nadar contra a maré, andar no contra-fluxo , são atitudes que sempre tomei para desafiar a mim mesma . Eu posso! Este era o meu lema.  Hoje , o meu lema é: Eu posso, mas não quero.

Muito mais conhecedora dos próprios limites, me atenho ao "hoje" , e reservo para o amanhã aquilo que de alguma forma desestabilizaria o meu hoje.  Sei que eu posso, mas não hoje.

Parece até uma forma de procrastinação consciente, e é.

Desejamos tantas coisas que acabamos por não enxergar que nem tudo aquilo que desejamos é cabível em nossas vidas. É como plantar tulipas no verão esperando que elas floresçam.

Tudo tem o seu tempo certo de acontecer. Apressar os acontecimentos pode gerar um efeito contrário daquilo que havíamos idealizado, ou planejado.

Sem pressa. Sem falsas expectativas . No curso da vida.

Namastê.

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Minhas lojas preferidas in japan


Aqui em terras nipônicas , vestir-se bem é algo acessível para todas as classes. Veste-se mal quem quer.
Algumas lojas como H&M , Zara, Gap , e Forever 21 são as preferidas dos brasileiros que vivem por aqui. Inclusive eu. Ainda não encontrei uma Loja da Forever 21 por aqui onde moro, mas ouvi dizer que são super em conta.

Sai apenas para almoçar com uma amiga , mas resistir aos preços da H&M e as promoções da Uniqlo ( loja de roupas básicas japonesa) é quase impossivel.

Camisa em seda M/L H&M por 55,00 reais 
Cardigã M/L H&M por 22,00 reais
T shirts malha canelada H&M por 19,00 reais 
Óculos de sol H&M por 55,00 reais


Regatas Uniqlo por 13,00 reais cada 



segunda-feira, 1 de maio de 2017

Astrologia & autoconhecimento


   Gisele Bundchen - a nossa uber  model  estudava seu mapa natal antes de se tornar famosa. 



Se você quer saber como será o seu futuro, observe o seu presente. Se você quer se conhecer melhor , faça um mapa Natal. 

Algumas pessoas me pedem para ver o futuro delas como se eu tivesse uma bola de cristal, ou analisar aspectos astrológicos e seus efeitos em suas vidas , mas se esquecem que o melhor "conhecedor" de suas vidas são elas mesmas. 

A astrologia é eficaz , quanto a isto não tenho dúvidas. Porém, a sua eficiência é apenas a de desenhar o mapa de nossas vidas em preto e branco . Colorir os caminhos desenhados neste mapa depende apenas de nós , através do autoconhecimento . 

Compreender e aceitar nossos limites é um ponto bem interessante a ser estudado para dissolver expectativas irreais . Assim como , reconhecer e utilizar nossas virtudes e dons pessoais a nosso favor. 

Quando eu digo para algumas pessoas que seus mapas natais são ótimos  , logo me questionam : - E aonde está esta sorte que nunca provei?

Minha gente! Nem todo mundo nasce com o bumbum virado para a Lua. Nem todo mundo nasce com uma estrela na testa como Gisele Bundchen. Nem todo mundo nasce com uma missão a cumprir na vida como uma Madre Tereza de Calcutá. Nem todo mundo desgraçadamente nasce em ambientes abaixo do nível da pobreza como algumas crianças africanas. 

Um mapa bom , no meu conceito, é aquele que não apresenta muitos altos e baixos psicológicos , nem provações cármicas , do tipo , acidentes ou doenças, que alterem todo o curso normal de uma vida. 

A maioria das pessoas criam expectativas irreais em relação a propria existência e acabam ansiosas e frustradas. Todo mundo quer ser feliz e realizado no amor e no financeiro. Eu também quero. 

E qual é o segredo para conquistar tais anseios? 

Não existe uma formula padronizada para vivenciar a felicidade e a realização material. Aquilo que funciona para alguns pode não funcionar para outros. 

Apenas o autoconhecimento irá nos esclarecer onde estão os nossos bloqueios e os nossos limites a serem vencidos,  para só assim criarmos a nossa exclusiva fórmula da felicidade . 

Em alguns casos, a felicidade está na aceitação  de que nem tudo na vida é como desejariamos que ela fosse, derrubando expectativas irreais. Em outros casos , a descoberta de nossos potenciais ocultos podem ser a porta de entrada para uma vida mais plena e satisfatória. 

A vida e seus percursos é como uma empresa que exige um administrador preparado e conhecedor de seu proprio negócio. Não há como progredir se não conhecemos o nosso ramo de atuação : nós mesmos. 

Namastê!

O olhar Capricorniano


             David Bowie também era um misteriosíssimo Capricorniano de olhar duro. 



Não há como não reconhecer um tipo Capricorniano até mesmo em fotos. A expressão do olhar é sempre muito marcante, a não ser que algum ascendente ou a Lua tenha maior expressividade.

Apesar de ser Capricorniana e ter algumas reservas em relação a homens Capricornianos ( são frios e autoritários) , eu devo confessar que eles me atraem .

Analisando algumas fotos de possiveis matches em um site de relacionamentos , o meu olhar se concentrou em duas figuras com um ar sério, quase carrancudo , que até me intimidou um pouco. Tive um pouco de receio em clicar nas fotos e abrir o perfil ,mas como a curiosidade é sempre mais forte , lá fui eu fuçar os perfis.

Não deu em outra! Dois Capricornianos!

Dizem que a primeira impressão é a que fica. Se assim for, estes dois Capricornianos são de meter medo. O olhar é duro demais, minha gente! E se os olhos são verdadeiramente as janelas da alma, pode contar com muita inflexibilidade , frieza e uma pitadinha de autoritarismo. Pelo menos é esta impressão que os dois perfis Capricornianos me passaram a primeira vista.

Mesmo com toda esta "má impressão" , não resisti e mandei um wink para um deles ( aquele que me pareceu menos aterrorizante) . Claro que deu match! Dois Capricornianos quando se cruzam sempre se identificam de alguma maneira. Da minha parte, apesar do temor , eu admiro todos, absolutamente todos os Capricornianos que conheci em minha vida, sem exceção.  São homens decididos, perseverantes, trabalhadores , estrategistas , muito responsáveis e inteligentes. O unico problema é mesmo a frieza e a inflexibilidade.

Mas cá entre nós! Aquilo que mais me atrai  nestas figuras é o desafio de quebrar um pedaçinho deste iceberg.

O homem Capricorniano sempre será um misterio a ser desvendado e um desafio a ser vencido. Conquistar o coração de um Capricorniano requer de muita astúcia, inteligência , sedução e paciência.

Se eles valem tanto sacrificio e dedicação ,  eu não sei . Mas que o desafio é tentador, isto é!


quinta-feira, 27 de abril de 2017

Vida em comunidade



Não sei se a vida em comunidade de estrangeiros é igual no mundo todo, mas aqui em terras nipônicas , os brasileiros se relacionam apenas com brasileiros , salvo algumas exceções. Existe a barreira da língua , em primeiro lugar, e os costumes de cada cultura que dificultam uma maior aproximação.

Talvez o fato da cultura asiática ser totalmente diferente de todo o resto do mundo crie uma barreira para uma aproximação e interesse maior por parte dos brasileiros que vivem aqui em terras nipônicas.  Esta é uma das explicações , mas também pode ser pelo fato do brasileiro não ter nenhum interesse em vivenciar e aprender com novas culturas. A exemplo disto , é o fato da maioria dos brasileiros nem imaginarem  como é a cultura e a economia de países vizinhos da América do Sul. Não vamos generalizar, mas a grande maioria tem esteriótipos e pouco conhecimento. Eu também me incluo.

Eu nunca imaginei que o Panamá fosse um país com boa qualidade de vida , por exemplo, até ouvir comentários de brasileiros que conheceram o país. Aliás, eu tive que olhar no google maps para saber  onde se localizava o país. Ignorância geográfica.

Voltando aos brasileiros que vivem aqui no Japão, é compreensivel que se formem comunidades de iguais, mas aquilo que eu não consigo aceitar é o fato do brasileiro não ter o minimo interesse em ampliar seus horizontes e cultura através desta "oportunidade" de viver em terras nipônicas.

A cultura japonesa é riquissima , e muitos estrangeiros viajam ao Japão atraídos excepcionalmente pela cultura local, enquanto nós brasileiros, temos a oportunidade de viajar à trabalho por tantas cidades japonesas e nos fechamos dentro de comunidades locais de brasileiros sem interagir com nativos japoneses e seus costumes locais.

Outro fato que me incomoda muito nas comunidades de brasileiros em terras nipônicas é a falta de interesse por assuntos locais , como a econômia japonesa, que aliás, reflete diretamente na indústria , setor onde a maioria dos brasileiros atuam. Também percebo um desinteresse total por notícias sobre a economia brasileira. Desde que eu voltei do Brasil, hà pouco mais de um mês, as únicas  pessoas que me perguntaram sobre a situação atual do nosso país, foi uma amiga que vive nos Estados Unidos e outra que vive na Inglaterra.

Eu me pergunto: Onde está o interesse e o foco dessas pessoas que não se interessam nem pelo país onde vivem, e nem pelo país de onde vieram?

Viver em comunidade é algo que nos traz conforto sim, mas fechar-se para o mundo não é uma boa opção quando vivemos como estrangeiros. A vida se torna totalmente estagnada , limitada e sem direção.

" O mundo é do tamanho das linguas que conhecemos " . Uma boa opção ( fundamental) para quem vive no estrangeiro é aumentar o conhecimento da lingua e da cultura local. Aprender outras linguas também é interessante , como o inglês. É a partir de uma nova lingua que adquirimos novos conhecimentos e novos horizontes.

De que tamanho é o seu mundo?


quinta-feira, 20 de abril de 2017

A pegada brasileira



Outro dia eu estava tentando convencer a uma amiga de trabalho brasileira , que está encalhada, a procurar em sites de relacionamentos homens estrangeiros. Eu mesma já conheci uns 4 pessoalmente.
Ela me falou da dificuldade em se comunicar em outra lingua , o que gera muitos mal entendidos e dá muito trabalho para estar usando o google tradutor a todo momento. Mesmo assim continuei insistindo porque aqui no Japão está cada vez mais raro encontrar brasileiros solteiros , sem filhos , com algum projeto de vida a dois em mente e que queiram um relacionamento serio.

A minha amiga titubeou e disse: - Mas brasileiro tem pegada.

Por um segundo fiquei muda. Não tinha nenhum argumento à favor dos estrangeiros que eu havia conhecido no passado. Alguns italianos e um suiço.

Os italianos são muito romanticos e passionais, mas nem todos tem aquela "pegada" . Pelo menos os que eu conheci eram até bem respeitosos e cavalheiros. Apaixonantes, sem dúvida alguma, mas não dà para fazer comparações com os homens brasileiros.

O único suiço que conheci e com quem mantive um  relacionamento de dois anos, entre idas e vindas do Japão para a Suiça , e com quem quase me casei, também não sabia o que era uma "pegada". Os suiços são bem mais contidos. Não quero generalizar mas o meu ex-suiço era um homem sério, profissionalmente competente em sua àrea de atuação ( consultor alimentício ) , ótimo cozinheiro ( ex-chef de cozinha ) , organizadíssimo, e um ótimo administrador de suas finanças. Porém, ele era um "iceberg" ambulante, além de neurótico.

Meus últimos relacionamentos com brasileiros foram em terras tupiniquins hà anos atrás e devo admitir que "a pegada" brasileira faz a diferença. Mas como nem tudo na vida é só isso, e para se viver um relacionamento à dois pleno , com projetos para o futuro   é preciso existir a confiança no outro. No quesito confiabilidade os europeus ganham disparado, na minha humilde opinião.

Talvez seja uma questão simplesmente cultural. Europeus em geral são mais objetivos quando se interessam por alguém de verdade, enquanto o brasileiro vai "ficando" até ter certeza do que quer.

Diferenças à parte, com pegada ou sem pegada . Atualmente aquilo que me preencheria em uma relação é a confiabilidade e a cumplicidade.

Sem estes dois quesitos ainda fica valendo aquele velho ditado: "Antes só do que mal acompanhada".


quarta-feira, 19 de abril de 2017

E a vida passa...





Abril de 2017. Como o tempo passou rápido!

Nem sei mais dizer a quantos anos atrás mudei a minha vida radicalmente, quando decidi vir provar os meus limites sozinha em terras nipônicas. Talvez 13 ou 14 anos atrás.

Muita coisa aconteceu durante este periodo de quase 15 anos , e se eu fosse contar os detalhes, teria que escrever um livro.

Decididamente , eu não sou mais a mesma pessoa . Aliàs, a cada ano eu me transformo, não somente no aspecto fisico com o passar do tempo. Uma ruguinha aqui, uma flacidez alí, alguns fios de cabelos brancos , e assim vai. A minha maior mudança tem sido na minha personalidade, o modo como eu reajo ao mundo. Como eu sempre digo e afirmo, a nossa essência é sempre a mesma, mas com o tempo aprendemos a lidar com os aspectos negativos e a valorizar os pontos positivos .

De toda esta mudança , aquilo que realmente faz a diferença neste processo é o fato de ter me conhecido melhor. Hoje posso ser eu mesma , sem ter que querer agradar a ninguém , e nem seguir os ditados de uma educação limitante e antiquada que recebi de meus pais. Tambèm não os culpo mais por nenhuma falta . Assim como não me culpo mais por nenhuma falta que eu tenha feito na criação e educação de minha unica filha. Quanta culpa eu sentia por não ser perfeita.

Os meus relacionamentos em geral também mudaram bastante. Estou muito mais seletiva e aprendi a não aceitar mais qualquer  coisa apenas para suprir necessidades afetivas. Também não me importo mais com probleminhas do dia-a-dia . Se não deu para resolver hoje, não guardo o estresse para o amanhã. Aprendi a controlar a minha ansiedade. Cada coisa a seu  tempo.

A vida fica muito mais facil e menos estressante quando não guardamos problemas dentro de nós. Resolve-se hoje ou não se pensa na questão. Simples assim. A vida se apresenta muito mais organizada , mesmo em tempos difíceis, e a nossa mente agradece.

A unica coisa que ainda não consegui mudar são os meus sonhos para o futuro. Sempre tem uma idèia  meio fora do comum borbulhando na cabeça. Creio que este seja o meu combustível, os meus sonhos.

Sonhos para mim são projetos de vida , sem essa de ficar sonhado acordado sem nem ao menos mentalizar e direcionar a vida ( aos poucos, sou capricorniana) para a concretização de nossos sonhos.

E é isso. Hoje acordei pensativa. Pensando no quanto eu amadureci com as minhas experiências . E concluo   que, viver é se desafiar todos os dias. É testar  os nossos limites, apesar da preguiça, que vai tomando conta do nosso corpo. Eu ando bem preguiçosa, mas nunca desanimada.

Como eu disse , tem sempre uma idéia nova borbulhando e isto é o que me impulsiona na vida, mesmo que eu tente...tente...e não consiga concretiza-lo . O que vale mesmo é o esforço de tentar . Muitas vezes o processo é muito mais rico do que a finalização de algum projeto.

Namastê!

sábado, 15 de abril de 2017

Ansiedade, o inicio do mal



Entre 10 pessoas que eu conheço , pelo menos mais da metade sofre de ansiedade, cada um a sua maneira. Alguns sofrem de insônia, outros são trabalhadores compulsivos , do tipo workaholic, outros  exageram em compras , outros comem além do necessário, outros são dispersos, e assim vai a lista.

São poucas as pessoas com quem posso sentar tranquilamente , tomar um café e jogar uma boa conversa fora. Parece até que elas  estão plugadas a uma tomada de 220 voltz e não podem relaxar e se desligar do mundo por alguns momentos. Estão sempre a um passo à frente mentalmente. Isto quando não estão fazendo outra coisa enquanto você tenta conversar com ela, do tipo mexer no celular à cada minuto.

Pior ainda são aquelas pessoas que começam a falar pelos cotovelos sobre algum assunto banal e nem percebem que de repente você está a fim de "se comunicar" com ela , e não te interessaria saber se a vizinha da casa da direita comprou um carro novo, ou se o marido dela está saindo com a vizinha da casa da esquerda. Tem aquelas pessoas também que não sabem puxar o gancho de nenhum assunto e sempre esperam que você comece a falar .

Todas estas  interações causam uma certa ansiedade . Você não consegue se expressar como desejaria e nem a outra pessoa . Ninguém ouve ninguém , de verdade.

Com toda esta falta de "qualidade" na comunicação interpessoal, a ansiedade começa a se instalar aos poucos , refletindo em nossa alimentação, no sono, no humor , e na incapacidade de viver o hoje. Pessoas ansiosas sempre estão algumas horas à frente, alguns meses, ou anos. Se fossem visionários seria ótimo, mas a grande maioria se perde entre o hoje e o amanhã, em uma desordem mental que reflete no dia à dia de forma improdutiva.

A ansiedade pode ser a porta de entrada para outros males , como a depressão, dependendo da autoestima de cada um. Aprender a domar a nossa mente é imprescindível para a nossa saúde fisica e mental.

Existem muitas terapias alternativas que nos ajudam a equilibrar as nossas emoções , mas para mim o segredo está no vazio. A capacidade de manter-se em vácuo mental por alguns minutos aprende-se praticando todos os dias. É como a disciplina de nos exercitarmos fisicamente todos os dias, ou três vezes por semana. No começo é dificil , a mente começa a divagar sem o nosso consentimento, porém com a pratica ela se condiciona a obedecer nossos comandos.

No começo , para os mais dispersos , um bom exercicio é fechar os olhos e imaginar que uma nuvem branca está tomando todo o nosso corpo, ou concentrar-se na leitura de uma pagina de um bom livro e tentar visualizar o texto como se fosse um filme. A cada pàgina uma nova visualização mental do texto. Porém, tal exercicio não é para absorver o conteudo do livro em si, é apenas um exercicio para concentrar a nossa atenção apenas no ato de ler uma página de um bom livro sem deixar que a mente disperse.

Namastê.


sexta-feira, 14 de abril de 2017

A nossa antipatia de todo dia



Simpatia nunca foi o ponto mais forte do caráter Capricorniano, não é mesmo? Claro que depende muito do ascendente e da Lua para compôr a nossa personalidade nos contatos sociais, mas em geral o Capricorniano é meio sisudo mesmo.

Aquele ar de superioridade que se nota até nos mais pequenos gestos, a sobriedade ao se vestir e ao se expressar. Marca registrada de todo bom e "vero" Capricorniano. Quem não tem estas caracteristicas "bom" Capricorniano não é. Pode estar sendo dominado por um outro signo qualquer em seu mapa.

Para um Capricorniano ser simpático e afável, depende muito da impressão que ele deseja causar nas pessoas, não é algo natural que vem de seu âmago. Se ele tem algum interesse , ele será extremamente afável e empático, mas se ele não tem nenhum interesse , será totalmente frio , distante e impessoal . Às vezes até com um certo toque de sarcasmo , que lhe proporciona um prazer sádico ao perceber que afastou alguém desinteressante de seu convivio.

Calma , minha gente! Capricornianos não são essa "coisinha" ruim que 90% da população imagina. É apenas a seletividade excessiva destes nativos que os fazem "aparentar" um certo grau ( alto) de antipatia . Quando um Capricorniano admira alguém, é totalmente leal a essa pessoa , e quando se apaixona é super dedicado ,paciente e amoroso. Capricornianos sabem separar o joio do trigo.

Este serve, aquele não serve . E assim o Capricorniano vai organizando a sua agenda telefonica por ordem de "serventia" . Pragmáticos em quase tudo, não há mal algum em separar a roupa suja da roupa limpa, ou o velho do novo, ou o útil do obsoleto.

Feita esta organização nos relacionamentos em geral, aqueles que restam são os verdadeiros relacionamentos empáticos . Simples assim.

Portanto, a antipatia Capricorniana que para muitos é desagradável, para outros é apenas uma forma de viver relacionamentos mais verdadeiros, sem gastar tempo e energia com "algo" que não acrescenta .

Sinta-se privilegiado se passou pelo crivo de um antipático Capricorniano. É sinal de que você é uma pessoa muito interessante. Não há termômetro melhor para medir o quanto somos interessantes, ou não...