domingo, 4 de setembro de 2011

Doces ilusões


O que seria de nossas vidas se não fossem as nossas mais doces e inocentes ilusões? Com certeza o filme de nossas vidas seria passado em preto e branco, e a magia da vida se desprenderia de nós. Triste isso não?
Hoje estava pensando (entre tantas outras coisas) no meu excesso de idealismo em relação a tudo. Claro que o excesso de idealismo gera cegueira, falsas expectativas e tantas, mas tantissimas desilusões, mas mesmo assim ainda penso que vale a pena colorir a vida, fantasiar, sonhar e viver cada "momento" precioso que a vida nos oferta com um certo toque de "magia". Voltar a ser criança e sorrir inocêntemente, viver uma nova paixão como se fosse a primeira, permetir-se errar, sentir medos, inseguranças, não saber responder a uma pergunta objetiva, não se cobrar tanto , nem perceber se está na moda ou não, não seguir padrões pré-estabelecidos. Enfim, ninguém é perfeito, afinal! Voltar a ser criança, ou seria melhor dizer: Não perder nunca a criança que existe dentro de nós.
Vivemos tantas ilusões , tantas desilusões e com o passar do tempo começamos a crer que já não vale mais a pena acreditar. A vida é feita de ilusões , é isso que dá o colorido a nossas vidas.
A escolha é apenas nossa. Viver a vida em preto e branco ou iludir-se muito...muito.
Uma vez um certo alguém me disse : -Prefiro sofrer a não viver nada. Ele deveria ser um grandississimo idealista também, que se alimenta de paixões e ilusões. Um sonhador? Não creio, está mais para um corajoso idealista que assume as consequências daquilo que vive.

Um comentário:

Rosi Santos disse...

Belíssimo texto. Obrigada por definir em palavras o que tenho sentido e não conseguia expressar, voltar a ter o olhar de criança, docemente iludida, despojada de modismos e conceitos, pronta par viver uma paixão, doce ilusão.Um abraço,
Rosi Santos