sexta-feira, 16 de setembro de 2016

E se não houvesse amanhã?



Hoje, por acaso, lendo as noticias do Brasil me deparei com o anúncio da morte de um ator , Domingos Montagner, que até então era desconhecido para mim. Hà anos já não acompanho mais a programação da tv aberta brasileira , assisto a apenas alguns programas atravēs de reproduções de canais do youtube. O cara morreu afogado no intervalo das gravações da novela "Velho Chico" , ou seja, foi uma fatalidade, um acaso. Nenhum indicio de problemas de saúde ou qualquer coisa que o estivesse levando aos seus ultimos dias do lado de cá. Ele estava apenas na hora de seu intervalo de trabalho e morreu. Simples assim. 

Claro que fui incuriosar o seu mapa astral, e aparentemente em termos gerais não observei nenhum aspecto que delatasse a possibilidade de ocorrer tal fato. Lembrando que sou leiga, apenas uma curiosa no assunto astrologia. 

Alguns mapas que visualizei de famosos davam indicios claros para qualquer leigo entender que as estrelas estavam fazendo um movimento tendencioso no momento de sua morte . Obviamente que um bom astrologo saberia identificar claramente os aspectos que regiam o momento de Domingos Montagner. E se ele soubesse de tais tendencias, talvez ele tivesse evitado entrar em águas profundas. 

Plutao aspectado na sua casa 8 , o mesmo transito pelo qual eu estou passando hà anos. Em questões praticas, este transito traz perdas de pessoas ligadas ao nosso convivio, ou a nossa propria morte. Ē um aspecto muito longo que vai norteando as inevitáveis ocorrencias da vida. Outro aspecto que me intrigou em seu mapa astral foi Netuno em oposição a Plutão, que pode ser classificado como morte por asfixia, ou seja, afogamento. Netuno ( mar) , Plutão ( profundezas, morte) . 

Para morrer basta estar vivo...e estar escrito nas  estrelas. Maktub. Não necessariamente viveremos dentro de uma estimativa ou expectativa de vida do homem moderno. O fim nem sempre é para os que chegaram primeiro. 

E se você acordasse hoje com a certeza de que não existiria mais um amanhã? 

Aquela canção de Renato Russo retrata bem como deveriamos agir todos os dias : - "É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã". Porém viver a vida pensando que o amanhã não chegará é enlouquecedor. Ter a total consciência de que a vida tem um final também é perturbador. No minimo nos causaria ansiedade e angústia , ao perceber que metade de nossa vida já se foi e ainda queremos viver tantas coisas com a mesma juventude que já não tem mais volta. 

Queriamos ter amado mais, ter errado menos, ter estudado mais, ter viajado mais, ter contribuido mais. 

A vida é ( para mim) como uma empresa que nos é delegada por Deus , por um contrato invisivel e vitalício. Como iremos administra-la depende da capacidade gerencial de cada um. 

Exageradamente Capricorniana a minha visão da vida , eu sei. Mas a vida não deixa de ser a nossa empresa , o nosso  maior patrimônio. Tantas vezes nem administramos todos os setores da vida como se deve. Deixamos ao acaso, para o amanhã resolver. Sem nos darmos conta de que o amanhã pode simplesmente não existir. 



2 comentários:

Irene Deroldo disse...

Aí ninha amiga me encontro desesperada e cheia de angústia, por favor me diga os pontos negativos do meu mapa para que eu possa melhorar,5 de março de 1993 as 14h e 20 minutos,são Paulo capital

Viajante disse...

Ola Irene,
Me desculpe , eu estou sem tempo. Totalmente sem tempo.
Analisar mapas e sair dando palpites sem ter conhecimento profundo seria leviano. Eu só consigo interpretar mapas com tendencias bem claras , e mesmo assim eu só confirmo o ocorrido . Não sou capaz de interpretar o futuro, nem desvendar mapas de pessoas que não conheço . Fica sempre aquela duvida... E eu prefiro nao opinar.
Sorry....
Eu posso te sugerir o site do Personare. É ótimo , apesar de ser compacto, ele te da a explicacao do aspecto e conselhos.
Bjs e sorte!