quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Vidas passadas




Sabe aquela sensação ou emoção que vem do nada provocando reações subitas de defesa quase que involuntariamente? Ou aquelas certezas que temos no fundo de nossas almas sem entender direito de onde elas vieram?

Independentemente  de termos provado alguma experiência  nesta vida, sensações afloram , sonhos se tornam recorrentes, e atè mesmo algumas imagens nos vem em mente sem sabermos de onde elas vem. Seria preciso realizar uma regressão mental para descobrir , ou lembrar , em qual momento de nossas vidas teriamos provado tais emoções e sensações. Talvez na infância, talvez no ventre materno? Talvez muito além !

Há anos vinha desenhando rostos. Rostos de mulheres , com cabelos longos, jogados ao vento, olhar misterioso ,quase melancólico  e um detalhe muito interessante, uma enorme franja que cobria um dos olhos. Todos me perguntavam: - Mas  quem é ela? Eu respondia: - Ninguém. 

A franja cobrindo um olho era simplesmente o fato de eu não conseguir desenhar os dois olhos na mesma proporção. Sempre um olho ficava maior, outro mais baixo, e a solução que encontrei foi cobrir um dos olhos com uma enorme franja. Mas quem era a moça de labios carnudos, olhar melancólico e com uma franja enorme cobrindo parte de seu rosto?

No fundo eu sabia que aquela moça bellissima dos meus desenhos era eu, mas não queria confessar. Ela era bela demais, e eu nem me considero bonita. Também não sou feia, mas não chego a estar dentro dos padroes de beleza do nosso mundo moderno. 

Com o passar dos anos aprendi a desenhar os dois olhos de forma proporcional . Hoje dificilmente desenho rostos caolhos. Sabe-se lá como, mas aprendi também a fazer auto-retratos. 

Coincidência , indução mental ou resquicios de vidas passadas. Meu ultimo auto-retrato é caolho. Uma enorme franja cobre um dos olhos, e esta franja é real. Nunca quis deixar a franja crescer por achar que a minha testa era grande demais. Com a vida louca , sem tempo de ir ao cabeleireiro , meu cabelo cresceu e eu nem me dei conta. Tento jogar a franja de lado, para trás, prende-la . Ela è rebelde e sempre cobre o meu olho esquerdo. 

Imagens vindas de vidas passadas ou não. A moça de cabelos longos , olhar melancölico , labios carnudos e franja cobrindo parte do rosto , não tão bela quanto em meus desenhos passados. Era eu hoje. 


4 comentários:

Irene Deroldo disse...

Seus desenhos são lindos amo eles, aí amiga me apaixonei por um taurino com lua em capricórnio, Vênus em capricórnio e Marte emais capricórnio e ascendente em capricórnio, veja só se não estou frita kkkkkkkkkkkkkkkkk

Viajante disse...

Ola Irene
Vc ta brincando ne?
;-)

Irene Deroldo disse...

pior que não minha amiga acredite queria estar , e agora gosto tanto dele más creio que ele nunca de bola pra mim , essa minha vénus em aries é triste e com tantos aspectos ruins só piora mais ainda e pra variar tenho baixa auto estima , pois sou meia gordinha e tenho pernas e bumbum muito grandes não acho isso bonito .

Viajante disse...

Ola Irene,

Deixe de ser pessimista.
Você escolhe: ser feliz e se amar ou ser infeliz e não se amar. A decisão é sua! Nem é das estrelas...
Bunda gorda, peito pequeno, nariz achatado, pernas tortas , ou oq seja. Não importa o seu biotipo, aquilo que importa é vc se amar e se auto- melhorar aos poucos. Vc ainda é muito jovem!
Vc escolhe! Vc decide!
Sorte!