sexta-feira, 16 de agosto de 2013

O pior de nós , um amor capricorniano

nlk


Ninguém nesta vida quer admitir que possui mais invirtudes do que virtudes, todo mundo quer ser visto como uma pessoa cheia de virtudes e predicativos. Algumas pessoas conseguem fazer isso com total naturalidade, outras tem que se esforçar mais, e outras nem com reza braba não conseguem. Seria preciso nascer outra vez, ou renascer na mesma vida. Topar de frente com o pior de nós . 

Todos os meus relacionamentos afetivos me serviram muito mais como um laboratório para mim, não propriamente como uma parceria. A minha busca  sempre foi muito individual. Acabei por descobrir que eu não estava em busca de alguèm, mas de mim mesma . 

Me encontrei projetada em uma pessoa de carne e osso. Ou seja, a minha alma gêmea, não necessariamente a minha cara metade porque eramos coesos em absolutamente tudo . Gostos identicos, caráter, postura na vida, signo ( capricornio com a lua em escorpião) , relações familiares. Absolutamente tudo era igual. 

A princípio nos apaixonamos por tamanha coincidência. Tudo igual. Aos poucos vamos nos deparando com o pior de nós mesmos na imagem do outro. Nestas horas não queremos mais ser tão iguais assim e a tendência  é criticar o outro. " Não, eu não sou como você."

Este é o ponto de partida para o autoconhecimento, quando  nos deparamos com o melhor de nós e o pior de nós projetado  em uma outra pessoa. 

Capricornianos levam sempre a fama de serem frios, racionais e extremamente materialistas. Devo admitir que não è apenas fama, é uma grande marca da natureza capricorniana. Isto não quer dizer que somos o pior signo do zodíaco, mas dependendo dos aspectos que se fazem presentes no nosso mapa de nascimento, o Capricorniano consegue ser o símbolo da racionalidade fria e do orgulho desenfreado. 

Frieza ao demonstrar  emoções. Este é um pequeno detalhe da personalidade capricorniana que deveria ser estudado mais profundamente. Claro que outros aspectos poderiam amenizar esta tendência, mas se vocē è um capricorniano a 100% não hà como fugir . 

As emoções simplesmente não fluem naturalmente como deveriam porque o cérebro capricorniano racionaliza , filtra as emoções antes de senti-las na sua totalidade. 

A minha alma gêmea capricorniana não possuia expressões emocionais no olhar, mas era muito generoso em questões materiais. Um belo e caro presente  sempre demonstrava   o tamanho de seu amor. Conforme o valor dos presentes iam diminuindo podia  ir percebendo o seu desinteresse. Nunca pude  medir o grau de seu afeto pelo seu olhar , seus beijos ou o toque de suas mãos. 

Assim ele agia também com seu filho. Nunca um abraço mais demorado, nunca uma expressão mais emocional, mas os presentes eram sempre caros. Quanto amor ele desejava  demonstrar em presentes caros?

Em nenhuma das vezes que recebi tais "regalos" consegui ficar feliz. O presente que eu tanto desejava era outro. Poder ver em seus olhos a emoção daquele momento. Poderia até mesmo ser apenas uma rosa vermelha , como tantas que me regalou , mas faltava sempre a emoção do momento em seus olhos. Olhos duros, as vezes vidrados, às vezes um pouco estrábicos e sem nenhuma, absolutamente nenhuma emoção. 

Receber presentes da minha alma gêmea Capricorniana acabou por se tornar um ato corriqueiro. Por vezes nem agradecia por receber tamanho presente ( material) sem nenhuma emoção contida. 
Aquilo que lhe faltava e eu tanto desejava era um olhar menos endurecido. 

Parecia exister entre nós uma batalha invisível. Ele me dava presentes caros e eu os recusava de alguma forma, não agradeçendo ou os esquečendo pela casa. Os presentes baratos então, eu simplesmente os ignorava. Se o valor de seu amor se expressava em presentes valiosos. O que será que ele pretendia ao me oferecer coisas baratas?

Queria também que ele não fugisse das nossas despedidas e nem que me criticasse a cada volta minha. Aos poucos fui percebendo que eu esperava dele uma atitude diferente da minha. Eramos iguais, em absolutamente tudo!

Topar na vida com alguém absolutamente igual a nós nos faz refletir o quanto somos críticos em relação ao outro, do quanto esperamos das pessoas aquilo que nem nós somos "ainda" capazes de oferecer. 

Um comentário:

Anônimo disse...

Lindo este seu relato! Eu fui apaixonado por uma capricorniana com ascendente em áries. Eu me senti profundamente rejeitado e talvez fosse somente esta frieza toda e um forte materialismo (para ela, sexo era a forma de demonstrar afeto e, pra mim, sexo é o que importa menos). Talvez, se eu nao fosse escorpiano, tão emotivo, tivesse dado certo. Adorei o seu texto! Foi muito importante pra mim!