segunda-feira, 21 de março de 2011

Alegrias e decepções

Depois que decidi me mandar desta terra esquecida por Deus, tive algumas revelações que me deixaram um pouco perplexa. Desta vez não foram as inúmeras revelações que as estrelas me disseram, foi de uma amiga "falsa" japonesa, que eu pensava que fosse falsa mas na realidade não era. Quer dizer, ela era ciumenta e não falsa. Custei a entende-la, mas hoje estou muito feliz em saber que ela me quer muito bem e está fazendo de tudo para me ajudar com aquelas pequenas "coisinhas" burocráticas que só mesmo um japonês pode entender. Através dela eu soube que uma colega de trabalho japonesa, a quem ensinei todo o meu trabalho com a maior dedicação e paciência e por quem eu tinha uma grande admiração por seu jeito de ser, sempre alegre ,gentil e simpática , estava fazendo comentários preconceituosos no trabalho depois da minha demissão voluntária. Do tipo: - É melhor que esses brasileiros vão embora de vez daqui porque eles só fazem coisas ruins aqui no Japão. Doeu! Que decepção. Justo ela a minha aluna preferida dizer isso de mim?
Tá certo que por muitas vezes fiz críticas injustas com relaçao a mentalidade dos japoneses , mas nunca consegui ser falsa ao ponto de fingir que gosto de alguém. Eu simplesmente não consigo fingir por tanto tempo assim. Decepção, decepção e decepção. Mas tudo bem, para mim basta saber que a minha outra amiga japonesa que eu considerava falsa e não era, é uma das poucas amigas japonesas que levarei comigo ,nas minhas lembranças.
Amanhã combinamos de almoçar juntas. Ela pediu folga no trabalho para poder estar comigo pela última vez. Imagina, uma japonesa faltar ao trabalho para se despedir de uma colega de trabalho estrangeira. Ela até já avisou ao marido que durante a tarde não estará a sua disposição para lavar,passar e cozinhar porque quer almoçar comigo . E o marido dela, apesar de ter sido sempre gente fina comigo é daqueles japoneses antigos que escravizam a esposa.
Enfim, compreender a essa raça é uma coisa muito complicada. Eles nunca demonstram suas verdadeiras emoções a não ser dentro da propria familia, às vezes nem dentro do seio da propria familia. Eles dizem que cada um deve administrar os seus problemas e nunca perturbar as pessoas (que não são da familia) com as suas aflições. Eles devem me achar uma "pentelha" porque eu perturbo todo o mundo com as minhas aflições e não escondo nada. Talvez por essa mentalidade e comportamento japones eles sejam considerados frios , ou falsos. Vai saber se essa outra japonesa que anda fazendo comentários preconceituosos no trabalho não esconde lá no fundo uma admiração por mim? Ou também é apenas ciumenta e invejosa como a minha amiga falsa que na verdade não era falsa. Vai entender...

2 comentários:

Natália disse...

Ahhhm cheguei aqui pra te seguir! E sim...relaxa... eu vejo esse tipo de coisa aqui tb... sei q nos japoneses é um pouco mais acentuado... Mas todas as raças tem no meio um ou outro que não preza por fazer uma boa passagem na vida de alguém... acaba deixando marcas, ou más impressões... não sabe dar valor quando encontra um bom coração ou pessoas que realmente se importam com a felicidade, seja ela alcançada de qualquer maneira, mesmo que isso td fuja dos padrões...
Saudades!
Bjoo

Viajante disse...

Noooossaaa! Naná!Que profundo!
É verdade.Algumas pessoas não estão nem um pouco preocupadas em terem uma boa passagem pela vida das pessoas. Mesmo que seja breve. Tem gente que só passa e ninguém vê, ninguém sente. Tem gente que passa e deixa marcas profundas , as vezes belas, às vezes dolorosas...mas tem gente que passa, pisa e ainda faz questão de sentar encima sem necessidade alguma.E assim caminha a humanidade...
Adorei vc aqui.Bjsss