quarta-feira, 16 de março de 2011

Dilema pós terremoto

Ficar ou fugir? Este tem sido o meu maior dilema durante os dias que precederam o grande terremoto no Japão com consequências gravissimas que ainda assustam a todos nós estrangeiros e japoneses. Fugir é uma atitude covarde , mas ficar e esperar os acontecimentos não pode nem ser classificada como "atitude".
Hoje tomei uma decisão muito séria. Não sou diferente dos 254mil brasileiros que ainda permanecem no japão à trabalho e temem pela propria vida. O primeiro impulso é o de fugir para o aeroporto mais próximo sem nem pensar. Infelizmente nem todos tem condições de ir embora por pura falta de condições financeiras. O Japão já não é mais um lugar pra se fazer dinheiro rápido e economizar com planos à curto e medio prazo. Pra dizer a verdade já faz bem uns 4 anos que anda dificil se programar financeiramente por aqui.
Independente da atual situação econômica do país ser desinteressante para nós brasileiros que viemos ao Japão com o intuito de trabalhar duro e economizar para retornar ao Brasil, a situação atual do país é algo alarmante em todos os sentidos. Nem terremoto , nem tsunami. Aquilo que está enlouquecendo as pessoas por aqui (incluso japoneses) é a novela mexicana que se tornou o risco de radiação pelas usinas danificadas pelo terremoto/tsunami em Fukushima. As notícias são muito desencontradas e aquilo que as autoridades japonesas dizem não condiz com aquilo que o exército americano (em Fukushima) diz. E nós ficamos assim, sem saber o que fazer e em pânico total. Enfim, dilemas , dúvidas , e insegurança à parte decidi "fugir".
Hoje conversei com o meu encarregado e avisei que estava me demitindo sem aviso prévio. Como sempre (mentalidade japonesa) ele me disse que eu não poderia fazer isso porque o trabalho é mais importante do que qualquer boato infundado e exagerado sobre a atual situação do Japão. Oqueeeeeeeeee? Boatos? O trabalho é mais importante do que a minha vida?Eu devo morrer (um pouco de exagero) pela nação japonesa?
O diálogo foi difícil e acabamos entrando em questões culturais de dificil compreensão para ambos os lados. Discussão desnecessária , pois eu só pedi a minha demissão sem aviso prévio em vista das circunstâncias. Por um momento ele deve ter esquecido que eu não sou japonesa e falar sobre a necessidade de cumprir os protocólos e obrigações em um momento como esse é quase uma ofensa para nós tupiniquins. Foi difícil faze-lo entender que a situação atual é diferente, e de que eu sou brasileira e vivo sozinha no Japão, portanto o meu stress e preocupação comigo mesma é bem maior do que a dos japoneses que estão em seu próprio país. Ao fim da conversa ele aceitou o meu pedido de demissão e aparentemente compreendeu. Vai saber?
Agora estou na luta pra conseguir uma passagem pra Milão na Itália. É , não vou fugir do meu destino e comprar uma passagem pro Brasil e voltar derrotada pela crise econômica japonesa. Estou fugindo do Japão , mas sei que mesmo estando em um outro país seguro na Europa e longe de toda essa catástrofe japonesa vou enfrentar mil dificuldades. Eu supero. Só não quero ficar aqui esperando os acontecimentos. Alma capricorniana em desespero.

4 comentários:

Ana Lúcia disse...

Caramba... cabulosa a situação, hein, Cammila!
Mas eu tenho uma irmã capricorniana, cabeça dura e fazedoura de dinheiro q só ela, tenho certeza que onde quer q vc for, com sua persistencia astral e sua personalidade - dá pra sacar um pouco dos posts - vc irá vencer!
Um beijão!!! E boa sorte, sempre!
Ps.: essas questões culturais são mesmo complicadas... aqui no Brasil somos criados mto mais livremente, realmente. Dar a vida por nenhum país é uma coisa mto digna, ainda mais num mundo grande como este... vai saber se não to falando asneira, paro por aqui!
Bjs!

Viajante disse...

Obrigada Ana Lúcia,

Fico muito feliz em saber que vc leu os meus posts e sacou o meu caráter.Brava ragazza!...:-)
E muitissimo obrigada pela força. No momento eu tô precisando.Tô arriscando tudo...ou nada, porque eu não tenho nada. Só a cara e a coragem...rs
Sem dúvida alguma no Brasil somos criados com total liberdade e com certeza é por isso que o povo brasileiro é feliz.
Um beijo.

Minelinha... disse...

Atè que enfim!!!
Nada contra morar no Japao neh amiga... Mas vai ser otimo ter voce mais por perto da gente. Fiquei super feliz por sua decisao e estou na torcida pra que tudo de super certo pra vc. Fè em Deus e pè na tabua!!! Beijussssss

Viajante disse...

Obrigada Marinetta .
Será que dessa vez a gente consegue se reencontrar e vc não vai me dar o chapéu como fez em Veneza?kkkkkkkkkkkkk
Deixa reservado o sofá porque o amanhã nunca se sabe...
Beijusss